quinta-feira, 1 de novembro de 2012

A submissão acrítica

Richard Jakubaszko
Trecho do editorial do Jornal da Tarde, na sua última edição, no dia 31 de outubro de 2012:
A submissão acrítica ao fascínio da velocidade sem rumo devolve a humanidade a uma crescente incapacidade de pensar e vai reduzindo a vida a uma sucessão de reações automatizadas de sobrevivência onde somos nós que, em bando, servimos às máquinas e não elas que nos acrescentam à individualização, à segurança e ao confronto material ou espiritual”.

Comentários do blogueiro:
Parafraseando David Ogilvy, "gostaria de ter escrito isso".
Entretanto, devo dizer, não nas condições que originaram a necessidade de publicação do editorial. Se o texto é brilhante, por explicar e em parte justificar o fim de uma das mais talentosas publicações impressas do jornalismo brasileiro, assim como o foram em seu tempo O Pasquim, Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio da Manhã, Última Hora, Correio do Povo, e as revistas Senhor, Realidade, O Cruzeiro, Manchete, Visão etc. e etc., é verdadeira a análise ao apontar a imbecilidade dos telespectadores, especialmente estes, mas o editorial não citou explicitamente se a TV ou a internet, ou esse conjunto, foram os responsáveis pelo fim do vespertino mais criativo de São Paulo. Inegavelmente, a pequena presença publicitária foi a grande responsável pelo fim do JT.

Quero dizer, com isso, em minha opinião, que o principal responsável pelo fim do JT é, majoritariamente, o mercado publicitário, jamais os leitores. Evidentemente que parte dessa responsabilidade deve ser atribuída e dividida entre os administradores do jornal, do dept. comercial do jornal, por erros cometidos, e até mesmo da ausência de um amplo mercado de leitores, mesmo em São Paulo, para acompanhar / entender / gostar do conteúdo editorial do JT, e até mesmo as oscilações da qualidade editorial do JT em suas diversas fases, as quedas de tiragens, esse seria o conjunto das causas do fim do JT, mas as agências de propaganda são as maiores responsáveis, por não entenderem dos processos de se produzir conteúdo jornalístico de qualidade e por sempre procurarem premiar com as suas verbas publicitárias as enormes quantidades de leitores / telespectadores, e nunca a qualidade e a qualificação destes, que sempre será uma minoria.

Muita dignidade na despedida do Jornal da Tarde, enorme elegância, na foto da primeira página, no agradecimento, e mesmo no editorial. O JT não será a última publicação de alta qualidade editorial a desaparecer, com toda a certeza.
A mediocridade prevalece sempre.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.