sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

O dia em que Ayres Britto tomou LSD...

Richard Jakubaszko
Cada dia fico mais fã do jornalista e blogueiro Miguel do Rosário, que, em seu blog "O Cafezinho" honra o jornalismo, escarafuncha provas irrefutáveis daquilo que tenta provar como errado, neste caso o pseudo "julgamento" feito pelo STF do já famoso caso do Mensalão, a malfadada Ação Penal 470. No vídeo abaixo veja como Ayres Britto, então presidente do STF, apresenta seu argumento sobre as "verbas públicas" abocanhadas pelos réus do mensalão.

Não sei como Ayres Britto conseguiu ser indicado e aprovado para ministro do STF. A presidência foi alcançada pelo sistema de rodízio, dá para entender. Com uma "opinião" dessas, expressa em plenário, como se pode assistir, o tal do julgamento do Mensalão deveria ser imediatamente cancelado. O Brasil e a Justiça brasileira correm o risco de pagar um inédito mico internacional, um autêntico vexame.

Depois do vídeo o texto do Miguel do Rosário, irrepreensível.



O dia em que Ayres Britto tomou LSD

O dia em que Ayres Britto tomou LSD
por Miguel do Rosário
Eu já reproduzi esse vídeo por aqui, mas não lhe dei o merecido destaque. Ele é incrível. Ayres Britto, então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), num acesso de delírio, começa a discorrer sobre os indícios que o levam a achar que a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, a Visanet, uma multinacional com faturamento superior ao PIB de muitos países, é uma empresa pública.

Britto afirma que a Visanet é pública porque tem a palavra “Brasileira” no nome, e a compara à Embrapa, à Embraer, etc.
Nem vou comentar aqui o fato da Embraer hoje ser privada.

Agora é assim. Se a Coca-Cola chamar sua empresa no Brasil de Companhia Brasileira de Refrigerantes ela passa automaticamente a integrar o sistema público nacional…

Quanto mais a gente examina esse julgamento, mais ridículo ele se torna. O delírio de Britto sobre a Visanet tinha uma intenção: chancelar a farsa, a qualquer preço.

Deu certo.


.
Eu já reproduzi esse vídeo por aqui, mas não lhe dei o merecido destaque. Ele é incrível. Ayres Britto, então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), num acesso de delírio, começa a discorrer sobre os indícios que o levam a achar que a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, a Visanet, uma multinacional com faturamento superior ao PIB de muitos países, é uma empresa pública.
Britto afirma que a Visanet é pública porque tem a palavra “Brasileira” no nome, e a compara à Embrapa, à Embraer, etc.
Nem vou comentar aqui o fato da Embraer hoje ser privada.
Agora é assim. Se a Coca-cola chamar sua empresa no Brasil de Companhia Brasileira de Refrigerantes ela passa automaticamente a integrar o sistema público nacional…
Quanto mais a gente examina esse julgamento, mais ridículo ele se torna. O delírio de Britto sobre a Visanet tinha uma intenção: chancelar a farsa, a qualquer preço.
Deu certo.
- See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/06/o-dia-em-que-ayres-brito-tomou-lsd/#sthash.gccVREq9.dpuf
Eu já reproduzi esse vídeo por aqui, mas não lhe dei o merecido destaque. Ele é incrível. Ayres Britto, então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), num acesso de delírio, começa a discorrer sobre os indícios que o levam a achar que a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, a Visanet, uma multinacional com faturamento superior ao PIB de muitos países, é uma empresa pública.
Britto afirma que a Visanet é pública porque tem a palavra “Brasileira” no nome, e a compara à Embrapa, à Embraer, etc.
Nem vou comentar aqui o fato da Embraer hoje ser privada.
Agora é assim. Se a Coca-cola chamar sua empresa no Brasil de Companhia Brasileira de Refrigerantes ela passa automaticamente a integrar o sistema público nacional…
Quanto mais a gente examina esse julgamento, mais ridículo ele se torna. O delírio de Britto sobre a Visanet tinha uma intenção: chancelar a farsa, a qualquer preço.
Deu certo.
- See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/06/o-dia-em-que-ayres-brito-tomou-lsd/#sthash.gccVREq9.dpuf
Eu já reproduzi esse vídeo por aqui, mas não lhe dei o merecido destaque. Ele é incrível. Ayres Britto, então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), num acesso de delírio, começa a discorrer sobre os indícios que o levam a achar que a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, a Visanet, uma multinacional com faturamento superior ao PIB de muitos países, é uma empresa pública.
Britto afirma que a Visanet é pública porque tem a palavra “Brasileira” no nome, e a compara à Embrapa, à Embraer, etc.
Nem vou comentar aqui o fato da Embraer hoje ser privada.
Agora é assim. Se a Coca-cola chamar sua empresa no Brasil de Companhia Brasileira de Refrigerantes ela passa automaticamente a integrar o sistema público nacional…
Quanto mais a gente examina esse julgamento, mais ridículo ele se torna. O delírio de Britto sobre a Visanet tinha uma intenção: chancelar a farsa, a qualquer preço.
Deu certo.
- See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/06/o-dia-em-que-ayres-brito-tomou-lsd/#sthash.gccVREq9.dpuf

O dia em que Ayres Britto tomou LSD

Enviado por on 06/02/2014 – 6:49 pm 15 comentários
Eu já reproduzi esse vídeo por aqui, mas não lhe dei o merecido destaque. Ele é incrível. Ayres Britto, então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), num acesso de delírio, começa a discorrer sobre os indícios que o levam a achar que a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, a Visanet, uma multinacional com faturamento superior ao PIB de muitos países, é uma empresa pública.
Britto afirma que a Visanet é pública porque tem a palavra “Brasileira” no nome, e a compara à Embrapa, à Embraer, etc.
Nem vou comentar aqui o fato da Embraer hoje ser privada.
Agora é assim. Se a Coca-cola chamar sua empresa no Brasil de Companhia Brasileira de Refrigerantes ela passa automaticamente a integrar o sistema público nacional…
Quanto mais a gente examina esse julgamento, mais ridículo ele se torna. O delírio de Britto sobre a Visanet tinha uma intenção: chancelar a farsa, a qualquer preço.
Deu certo.
- See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/06/o-dia-em-que-ayres-brito-tomou-lsd/#sthash.gccVREq9.dpuf

O dia em que Ayres Britto tomou LSD

Enviado por on 06/02/2014 – 6:49 pm 15 comentários
Eu já reproduzi esse vídeo por aqui, mas não lhe dei o merecido destaque. Ele é incrível. Ayres Britto, então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), num acesso de delírio, começa a discorrer sobre os indícios que o levam a achar que a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, a Visanet, uma multinacional com faturamento superior ao PIB de muitos países, é uma empresa pública.
Britto afirma que a Visanet é pública porque tem a palavra “Brasileira” no nome, e a compara à Embrapa, à Embraer, etc.
Nem vou comentar aqui o fato da Embraer hoje ser privada.
Agora é assim. Se a Coca-cola chamar sua empresa no Brasil de Companhia Brasileira de Refrigerantes ela passa automaticamente a integrar o sistema público nacional…
Quanto mais a gente examina esse julgamento, mais ridículo ele se torna. O delírio de Britto sobre a Visanet tinha uma intenção: chancelar a farsa, a qualquer preço.
Deu certo.
- See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/06/o-dia-em-que-ayres-brito-tomou-lsd/#sthash.gccVREq9.dpuf

2 comentários:

  1. Peraí!!
    Então, o SBT é uma empresa estatal?
    Então, o Silvio Santos é proprietário de uma empresa pública?
    Oh! My God!!! Porque nunca pensei nisso?! Taí porque sou um mero projetista civil ao invés de um imortal supremo do STF.

    ResponderExcluir
  2. Tem muitíssimas outras, Wilsoleaks, algumas famosas, como a citada Coca-Cola, tem a Cia Brasileira de Distribuição, que é o Pão de Açúcar... e outras...

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.