quinta-feira, 7 de maio de 2015

O Brasil virou um puteiro, não é mais a casa da mãe Joana, lamentavelmente.

Richard Jakubaszko 
O Brasil, cada vez mais, é a casa da mãe Joana, ou melhor, a Casa de Irene, como dizia a antiga canção.
Somos hoje um gigantesco puteiro a céu aberto. Agora, só falta privatizar o ar. É a lei do "estado mínimo", como querem alguns políticos. E não estou falando da Dilma, não.
O Congresso Federal está privatizado pelo lobby de deputados e senadores, e não há um "bispo" a quem os brasileiros possam recorrer. O governo está engessado, pela mídia e pela "opinião pública". Terceirizou a política!

Enquanto isso, os brasileiros "se distraem" com as "denúncias" de corrupção que os jornais, revistas e telejornais mancheteiam; os políticos agem à sombra de notícias sonegadas pela grande mídia, votam a terceirização e precarização dos trabalhadores, votam no silêncio a PEC 215, sobre a demarcação de terras indígenas e quilombolas; os juristas ignoram a votação da ADIN solicitada pela OAB, travada no STF por um ministro lobbysta de políticos que desejam ver o Brasil no "quanto pior, melhor"; e todos eles aguardam a vez de privatizar o pré-sal.

O mais importante, para a mídia, parece ser a Lava Jato, ou a extradição de Pizolatto, ou a prisão da cunhada do tesoureiro do partido que eles odeiam, afinal libertada, sem maiores explicações, mas há cheiro de festa no ar, como se isto fosse a coisa mais importante a ser noticiada, como se fosse acabar com a corrupção neste país, construído desde os primórdios de seu descobrimento pela escória da nobreza portuguesa. Somos, em verdade, um país de corruptos, somos o amálgama de uma cultura única, com origens luso-católica-judaica-africana.

Nosso judiciário precisa ter transparência, a "caixa preta" das nossas instituições jurídicas precisa ser desvendada, pois deixa a desejar, pelas decisões estapafúrdias, pela lentidão com que as sentenças são tomadas. O MP - Ministério Público, e seus promotores de justiça, precisam agir com bom senso, caso contrário vão paralisar o país, e o desemprego vai aparecer. Os procuradores tornaram-se o quarto poder, aliados com a mídia, onde tudo se faz por manchetes espetaculosas.

Nos jornais, a única verdade publicada é a data (conforme Luis Fernando Veríssimo), o resto é notícia com interesse político e partidário. 

O país perdeu a vergonha. A elite se locupleta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.