sábado, 7 de novembro de 2015

Condenação de mentira

Guilherme Cardoso 
Ou a Justiça acha que a gente é bobo, ou a gente é bobo mesmo!

Dá para entender o julgamento e a condenação dos mandantes da Chacina de Unaí?

Depois de 12 anos do crime, a Justiça condena os autores, eles recebem 96 e 100 anos de punição, mas não vão para a cadeia.

Lamentável é que a mídia contribui para manter o povo ignorante, acreditando que realmente foi feita justiça, que demorou, mas os réus foram exemplarmente condenados prisões pelo resto da vida.

Nesta hora, os órgãos de imprensa deveriam sim, acrescentar uma nota de rodapé nas notícias sobre a condenação, informando que embora os réus tenham sido condenados a 96 e 100 anos, as leis brasileiras não permitem mais de 30 anos, e que descontadas as regalias, e se o condenado for primário, ele não fica mais de seis anos na cadeia.


A Justiça permite que os advogados dos réus, recebendo fortunas de honorários, consigam fazer com que os condenados permaneçam em liberdade, enquanto novos recursos vão sendo impetrados.


Se, depois de 12 anos, com tantas provas, um julgamento, com júri condenando, por que não existe um Juiz ousado, corajoso e ético, que depois desse resultado obrigasse os condenados a esperar os recursos na cadeia?

Agindo assim, cada dia mais, o povo desacredita nas autoridades constituídas e na nossa Justiça.

Publicado no blog: http://guilhermecardoso.com.br/condenacao-de-mentira?lang=pt

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.