quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Fukushima: radiação contaminou todo o Oceano Pacífico - e vai piorar

Richard Jakubaszko
A notícia abaixo, tradução livre de minha autoria, saiu num site americano de ativistas ambientais, e me foi enviada pelo jornalista Rogério Furtado. O texto levanta dúvidas sobre os propalados desmentidos japoneses de que o vazamento radioativo de Fukushima tenha sido insignificante. No livro "CO2, aquecimento e mudanças climáticas: estão nos enganando?", denuncio as indústrias das usinas nucleares como as responsáveis pela maior mentira do século XXI, o propalado aquecimento e as mudanças climáticas.

Fukushima: radiação contaminou todo o Oceano Pacífico - e vai piorar
 
Mapa: fonte satélite NOAA


O desastre nuclear contaminou o maior oceano do mundo em apenas cinco anos e ainda estão vazando 300 toneladas de resíduos radioativos todos os dias.
Qual foi o desastre nuclear mais letal e perigoso na história do mundo? A maioria das pessoas diria que o desastre nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, mas isso seria errado.

Em 2011, um tremor de terra, que se acredita ser uma réplica do terremoto de 2010 no Chile, criou um tsunami que causou um colapso na usina nuclear TEPCO, em Fukushima, Japão.


Três reatores nucleares derreteram e o que aconteceu em seguida foi a maior liberação de radiação na água na história do planeta. Durante os seguintes três meses, os produtos químicos radioativos, alguns em quantidades ainda maiores do que Chernobyl, vazaram para o Oceano Pacífico.


No entanto, os números podem realmente ser muito maiores do que as estimativas oficiais japonesas, e foram comprovadas, por vários cientistas, de serem falhos nos últimos anos.

Se isso não fosse ruim o suficiente, a usina de Fukushima continua a vazar um espantoso volume de 300 toneladas de resíduos radioativos no Oceano Pacífico a cada dia. E continuará a fazê-lo indefinidamente, pois a fonte de vazamento não pode ser selada, já que é inacessível aos seres humanos e robôs, devido a existência de temperaturas extremamente elevadas.


Não deveria vir como nenhuma surpresa, então, que o vazamento radioativo de Fukushima contaminou todo o Oceano Pacífico em apenas cinco anos. Isto poderia facilmente ser o pior desastre ambiental da história humana, situação que quase nunca é falada por políticos, cientistas, ou que seja notícia pela mídia.


É interessante notar que a TEPCO é uma subsidiária da General Electric (também conhecida como GE), um das maiores empresas do mundo, que tem o controle considerável sobre várias corporações de notícias e políticos.


Isso poderia explicar a falta de cobertura de notícias que Fukushima recebeu nos últimos cinco anos?


Há também evidências de que a GE sabia sobre o mau estado da usina de Fukushima, reatores ultrapassados há décadas, e não se fez nada. Isto levou 1.400 cidadãos japoneses a processar a GE por seu papel no desastre nuclear de Fukushima.


Fukushima, em poucas palavras: aqui está a verdade. 
Mesmo que não se possa ver a radiação em si, algumas partes da costa ocidental da América do Norte foram sentindo progressivamente os efeitos com os anos. Não muitos meses depois do acidente de Fukushima, peixes no Canadá começaram a sangrar de suas brânquias, bocas e olhos. Esta "doença", ou problema, tem sido ignorada pelo governo e tem dizimado populações de peixes, incluindo o arenque do Pacífico Norte. Em outra parte no oeste do Canadá, cientistas independentes mediram um aumento de 300% no nível de radiação.

Segundo eles, a quantidade de radiação no Oceano Pacífico está aumentando a cada ano. Por que é que isso está sendo ignorado pela grande mídia? Poderia ter algo a ver com o fato de que os governos dos EUA e Canadá têm proibido seus cidadãos de falar de Fukushima, para que "as pessoas não entrem em pânico". Mais ao sul, em Oregon, estrelas do mar começaram a perder as "pernas" e depois se desintegraram completamente quando a radiação de Fukushima chegou lá em 2013. Agora, elas estão morrendo em quantidades recordes, colocando todo o ecossistema oceânico nessa área em risco. No entanto, funcionários do governo dizem que Fukushima não é o culpado, embora a radiação no atum do Oregon tenha triplicado após Fukushima.

Em 2014, a radiação nas praias da Califórnia aumentou em 500%. Em resposta, os funcionários do governo dizem que a radiação vinha de uma fonte misteriosa "desconhecida", mas que não havia nada para se preocupar. No entanto, Fukushima está a ter um impacto maior do que apenas a costa oeste da América do Norte. Os cientistas estão dizendo agora que o Oceano Pacífico já é totalmente radioativo e é atualmente pelo menos 5 a 10 vezes mais radioativo do que quando o governo dos EUA despejou numerosas bombas nucleares no Pacífico durante e após a Segunda Guerra Mundial.

A radiação de Fukushima agora provoca aumento significativo da Taxa de Mortalidade infantil em West Coast Orcas. Se não se começar a falar de Fukushima, em breve todos nós poderemos estar metidos em uma surpresa muito desagradável.

por Whitney Webb, no site http://humansarefree.com/2016/10/fukushima-radiation-has-contaminated.html?utm_campaign=shareaholic&utm_medium=facebook&utm_source=socialnetwork

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.