sábado, 31 de agosto de 2013

Dança soberba

Richard Jakubaszko
Simplesmente espetacular o show da dupla de dançarinos russos. É tão perfeita a performance que ameaça falhar a qualquer movimento. Vídeo enviado por Hélio Casale, que aproveito para divulgar porque ando meio ocupado em viagens e pelo fechamento mensal da Agro DBO.

.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Tecnologias da Alemanha

Richard Jakubaszko  
Tecnologias alemãs que andam surpreendendo as pessoas, pela simplicidade e genialidade. No vídeo abaixo, que me foi enviado pelo jornalista Paulo Sérgio Pires, ancorado no Youtube, há um exemplo muito característico dessas engenhocas tecnológicas, que acabam se tornando virais na blogosfera.
Vale a pena assistir.

.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Afinal, Pelé era destro ou canhoto?

Richard Jakubaszko 
No vídeo abaixo você tem as hipóteses e respostas para dezenas de outras dúvidas sobre, afinal de contas, se Pelé, o eterno, o gênio da bola, era canhoto ou destro. Costumo perguntar se saber isso tem alguma importância.
Vale conferir este vídeo, ancorado no Youtube, foi visto por pouquíssimas pessoas. Os que não assistiram este vídeo, ainda possuem o mau hábito de comparar bons jogadores com Pelé, que era absolutamente incomparável.

.

domingo, 25 de agosto de 2013

Somos 7 bilhões de bocas

Richard Jakubaszko 
O programa "Matéria de Capa", da TV Cultura, exibiu em 2011 uma síntese dos problemas do planeta, hoje com uma população de 7 bilhões de pessoas, e os enormes desafios que a humanidade terá de enfrentar para produzir alimentos, fornecer água potável e gerar energia, além de proporcionar segurança na área de saúde e ainda preservar um mínimo de qualidade ambiental para tanta gente.

Exceto pelo trecho sobre o aquecimento, onde o programa repete as baboseiras e ameaças ambientalistas, é possível, no vídeo abaixo, conhecer a maior parte dos problemas e desafios que já estamos enfrentando. Entretanto, a abordagem utilizada no programa não consegue aprofundar as questões e trata quase tudo com a superficialidade natural e rasteira das TVs, em que a síntese de frases chavões prevalece, afinal, não é factível e racional colocar tantos problemas em 26 minutos de um programa de TV.

Aqui no blog tenho tratado desses problemas, caso a caso, especialmente das questões ambientais e de produção de alimentos e energia.

.

sábado, 24 de agosto de 2013

Midia Ninja no Roda Viva

Richard Jakubaszko
Deu o que falar na mídia e nas redes sociais a entrevista da dupla Pablo Capilé e Bruno Torturra no programa Roda Viva do último dia 5 de agosto, na TV Cultura. No vídeo abaixo você poderá assistir ou rever a entrevista. No texto abaixo do vídeo fiz alguns comentários que considero pertinentes.


Pablo Capilé e Bruno Torturra são dois jovens que atuam nas redes sociais, que declaram fazer jornalismo na web, e foram "entrevistados" por jornalistas. Mostram muita garra, contestam o jornalismo tradicional e engajado que se observa na grande mídia, nos chamados jornalões e nas TVs.
Houve tentativa, em minha opinião, de assassinato de reputação, de um estupro ao vivo, ao buscarem desqualificar a nova forma de linguagem e comunicação, insinuando comprometimento desses jovens profissionais que lutam por construir um espaço novo, mas esta avaliação terá de ser feita por quem assistir ao programa, desarmado de preconceitos ideológicos.
.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Bebê conversa em que língua?

Richard Jakubaszko
Há bebês conversadores desde a mais tenra idade. O bebê do vídeo abaixo, uma menina, com certeza, já mostra que é conversadeira, mas o problema é entender qual a língua que ela fala... 
Como diz o povo, "o mês que mulher fala menos é fevereiro"...

.

domingo, 18 de agosto de 2013

Enorme surpresa na piscina do hotel...

Richard Jakubaszko
Uma enorme e inusitada surpresa na piscina do hotel... Vídeo enviado por Hélio Casale, mistura de agrônomo, cafeicultor teimoso, e poeta da vida.

.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

As Alergias mais Estranhas do Mundo

Richard Jakubaszko
A alergia é uma resposta exagerada do sistema imunológico a uma substância estranha ao organismo, ou seja, uma hipersensibilidade imunológica a um estímulo externo específico.
Reuni algumas das alergias mais estranhas conhecidas no mundo, você conhece alguém que sofre de alguma delas? Você sofre com alguma delas?

1 - Alergia a Água  

Basta o contato da pele com a água para que uma reação alérgica apareça e os efeitos podem demorar até duas horas para desaparecer.
Diferente de outros tipos de urticária causadas pela liberação de histamina, a urticária aquagênica é geralmente provocada por uma rara hipersensibilidade às substâncias presentes na água não-destilada, como o cloro.
A doença rara não causa inconvenientes só no momento de se banhar: suor, lágrimas e até mesmo a ingestão de um pouco d’água para aliviar a sede são grandes desafios para quem sofre da doença que ainda não possui cura.


2 - Alergia ao Frio
Se você sempre achou a expressão “morrendo de frio” um tanto exagerada, saiba que ela pode ter uma interpretação literal. Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, a exposição ao frio intenso pode causar urticárias graves em jovens adultos acometidos pela doença, que tem incidência estimada em 0,05% da população.

Geralmente motivada pelo contato com ar, líquidos ou objetos frios, a alergia à temperatura baixa pode causar urticárias generalizadas, dores de cabeça, hipotensão e até perda de consciência.

O risco de morte aumenta em casos de mergulhos em águas geladas ou pelo consumo de bebidas ou comidas geladas que podem causar o inchaço da laringe e, consequentemente, provocar a sufocação. A boa notícia é que em 50% dos pacientes a doença sofre remissão em até cinco anos.

3 - Alergia ao Próprio Filho

A alergia um tanto inusitada atinge principalmente as mães de primeira viagem. Foi o caso da britânica Dayle Byrom, que durante a 20ª semana de gestação sofreu com os sintomas do que os médicos chamam de Erupção Polimorfa da Gravidez.
Apesar de não afetar o bebê, a alergia causa grande desconforto na mãe, incluindo extrema coceira e vermelhidão.

Não há consenso no que diz respeito à causa exata do quadro, estudos conduzidos pela Dra. Samantha Vaughan-Jones, da British Association of Dermatologists, indicam que há mais casos entre mães carregando filhos do sexo masculino, o que levanta a possibilidade da alergia ser resultado de uma reação à testosterona gerada pelo feto, embora não haja ainda confirmação científica. A boa notícia é que a dermatose é curada após o nascimento e não costuma se repetir nas gestações seguintes.


4 - Alergia a Exercícios Físicos

Um aviso aos preguiçosos de plantão: você não vai querer ter alergia a exercícios físicos só para poder continuar sentado no sofá!

A alergia, associada a 17% dos casos de urticária crônica autoimune, segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, possui um quadro clínico pouco agradável: além de coceira intensa, sensação de calor, ruborização, urticária gigante, inchaços, tonteira, vômitos, cólica e diarreia, em casos extremos pode levar até à morte.

5 - Alergia ao Sêmen

No mundo, foram documentados pouco mais de 80 casos da rara alergia também chamada de “hipersensibilidade ao plasma seminal humano”.

Os sintomas, normalmente manifestados logo depois do contato com o líquido durante o sexo, incluem queimação, inchaço, coceira, dificuldade para a respiração, hipotensão e náuseas.

Muitas vezes confundida com uma DST, a alergia pode ser evitada com o uso de camisinha e seu tratamento é simples.

6 -  Alergia ao Sol

Não adianta apenas usar filtro solar. A doença, também chamada de erupção cutânea fotoalérgica, fotoalergia ou fotodermatose, é causada por uma reação do sistema imunológico desencadeada pela exposição ao sol.

Suas causas podem ser várias, acúmulo na pele de substâncias tóxicas depois da incidência solar, sensibilidade causada por medicamentos ingeridos ou fatores hereditários.

7 - Alergia à Vida Moderna

Ou, mais especificamente, à eletricidade e aos campos magnéticos. “A sensibilidade à radiação eletromagnética é o problema de saúde do século XXI.

Os casos pipocam na internet de tempos em tempos: em 2004, a alemã Petra Smith relatou o desenvolvimento da alta sensibilidade na vida adulta. Ela sofre com reações extremas provocadas pela proximidade a aparelhos eletrônicos, incluindo insônia, ataques de pânico, náusea e dores de cabeça.

Em 2007 foi a vez do DJ britânico Steve Miller, cuja hipersensibilidade é causada pela presença em ambientes com rede wi-fi, ou seja, ele dificilmente está à salvo. Tudo vale para desencadear uma reação adversa: de equipamentos de som a tomadas.

A exposição a qualquer tipo de campo eletromagnético pode causar sintomas neurológicos e alérgicos.

Publicado no Ig: http://falafil.com.br/comportamento/as-alergias-mais-estranhas-do-mundo/

COMENTÁRIOS DO BLOGUEIRO:
Existem alergias estranhas e raras, aliás, a maioria citada acima é rara. Os médicos pouco contribuem para esclarecer a questão, até porque os processos alérgicos são muito individuais, dificultando um diagnóstico preciso.
Sou um alérgico típico. A diferença com outras pessoas é que conheço boa parte das coisas às quais sou alérgico, enquanto a maioria das pessoas nem sabe que têm alergias. Sou alérgico a chocolate, batata, banana, feijão preto, leite in natura, a muitos remédios, e, especialmente a produtos químicos, como corantes (de roupas) e os chamados "acidulantes" e "conservantes" contidos em alimentos industrializados. Em algumas situações de alta irritação parece que sou alérgico a mim mesmo, pois coceiras acontecem pelo corpo afora, é incontrolável.
Já escrevi aqui neste blog sobre o tema, leia "Alergia: decifra-me ou te devoro", é um bom primeiro aprendizado sobre o tema: clique aqui.
.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Vídeo-paródia tira onda com torcedores do futebol brasileiro

Richard Jakubaszko
Cada torcida com sua fama, isso já é um clássico no cardápio de gozações entre torcedores dos times de futebol brasileiro. No vídeo abaixo a paródia continua...

.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Coisas que o gaúcho fala no churrasco

Richard Jakubaszko
Divertido o vídeo abaixo, ancorado no Youtube, e enviado pela jornalista Marcela Caetano, do Portal DBO, uma gaúcha, é evidente, mas com o grave defeito de ser gremista, uma espécie de degeneração genética, introjetada em seu DNA tricolor.
Que os gaúchos se consideram "apartados" do resto do Brasil todo mundo sabe. A República do Piratini não existe oficialmente, mas é um fato.
No vídeo, gauchismos e gauchices com bom humor nos churrascos, uma das poucas coisas, além do chimarrão, em que colorados e gremistas concordam sem quaisquer restrições...

.

domingo, 11 de agosto de 2013

O incrível papagaio cantor

Richard Jakubaszko 
É absolutamente encantador assistir esse papagaio cantor, cujo repertório musical é bastante vasto. Acabou como astro da TV, merecidamente. No Youtube já possui mais de 10 milhões de visitas.

.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Natureza exibida

Richard Jakubaszko
O texto e as fotos abaixo foram publicados na revista Agro DBO nº 47, de agosto 2013, sobre o 2º Concurso de Fotografias da Pioneer Sementes.

Os fotografados são conhecidíssimos representantes de um poderoso exército com inegável potencial destrutivo das lavouras.

1º lugar - Ninfas de percevejos, por Marina S. Fujivara.
Quase tudo é marketing hoje em dia. Fazemos marketing em nosso cotidiano, com a família, com os amigos e os parceiros comerciais. Um concurso de fotografias promovido pela Pioneer Sementes mostra o marketing da empresa com seus clientes, e revela inesperados e surpreendentes talentos por gente do agro. E ainda mostra a todos nós que até a natureza faz seu marketing.
2º lugar - Vaquinha - Diabrótica Speciosa, por José Ferreira dos Santos.
O 2º Concurso de Fotografias da Pioneer Sementes, cujo resultado foi conhecido em julho último, recebeu inscrição de centenas de fotos mostrando como a natureza “se exibe” em suas intimidades, enfim, como essa natureza faz seu marketing. O concurso demonstra a inesgotável diversificação da natureza, e, acreditamos assim, da infinita criatividade Divina, em detalhes raramente percebidos pelos humanos, distraídos na luta pelo poder no topo da cadeia animal.
Alguns observadores mais atentos, como esses “fotógrafos” premiados, convivem com essas belezas no dia a dia, eis que nenhum deles é “retratista” profissional, são todos agricultores ou técnicos da área, mas sensíveis à percepção dessas manifestações quase invisíveis, que ocorrem à sorrelfa, de forma silenciosa, quase sorrateira. E esse perceber a natureza é parte do marketing do agricultor.

O tema proposto ao concurso pela DuPont Pioneer foi “Doenças e Pragas nas Culturas do Milho e Soja”. Os primeiros lugares receberão prêmios como câmeras fotográficas e tablets, e os demais ganharão prêmios especiais.

Os invasores reproduzem-se de forma incontrolável, como se o mundo lhes pertencesse.
3º lugar - Lagarta da maçã Heliothis Virescencis, por Gilson Calixtro da Silva.
A grande maioria dos exemplares da natural beleza retratada é de valentes e conhecidíssimos representantes de um poderoso e diversificado exército com inegável potencial destrutivo das lavouras, fator limitante da produção e produtividade de alimentos. Na ausência de seus inimigos naturais, quando chegam às lavouras, encontram segurança, comida farta, sombra e água fresca, e tornam-se um desequilíbrio ambiental que deve ser combatido. Reproduzem-se de forma incontrolável, como se o mundo lhes pertencesse. Esse é o marketing segmentado da natureza, de evolução constante, na projeção e proteção da espécie, na tentativa da sobrevivência a qualquer custo, para não cair em estágios de pré-extinção.
4º lugar - Ninfa de percevejo, por Victor Massaru Yamada.

Ao mesmo tempo, a entomologia nos ensina que existe uma imensa e inacreditável diversificação de insetos, lepidópteros, micro-organismos, todos com criativos nomes latinos e de escrita difícil. Mas que convivem harmoniosamente dentro das lavouras, alguns benéficos, outros patogênicos, e com os quais temos de compartilhar parte do alimento ainda não recolhido do campo. Pelo fato de a humanidade também possuir essa inconveniente e perturbadora progressão geométrica de multiplicação demográfica, eis que já passamos dos 7 bilhões de bocas no planeta, e porque mais de 1 bilhão ainda passa fome, necessitamos, cada vez mais, produzir quantidades maiores de alimentos, competindo com os insetos e doenças das lavouras. Tudo isso, evidentemente, sem jamais descuidar do direito de controlar o crescimento populacional desses diminutos e interessantes invasores, através de tecnologias cada vez mais sofisticadas, mais específicas, e também mais caras. E esse é o marketing das empresas de insumos.
5º lugar - Tesourinha, inimigo natural, por Sidney Hideo Fujivara.

A natureza, como sempre foi através dos tempos, com sua incrível diversificação, nas características e no visual, nos ensina que a humanidade ainda tem muito a apreender com o que se convencionou denominar de “meio ambiente”. A natureza nos manda recados de que “não estamos sós”, e nem nunca poderemos estar sós, como parecem almejar alguns urbanos, seres estranhos e exóticos que, em sua maioria, parecem detestar qualquer manifestação mais intensa da natureza, a começar por chuvas. Nós, membros da humanidade, ainda não entendemos o natural, mas estamos percebendo, aos poucos, em um processo de aprendizado penoso e complicado, que não sobreviveremos sem que o meio ambiente esteja em equilíbrio. Já para a natureza tanto faz, ela tem sua própria escala de princípios e valores, e, com a humanidade presente e dominante, ou sem ela, a vida e seus ciclos seguem em frente. É assim a natureza, incompreendida, mas bela e exibida.
6º lugar - Lagarta da espiga - Helicoverpa zea, por Lucas Bochnia.

Este blog parabeniza os ganhadores e também os integrantes da equipe Pioneer, pela realização desse marketing de relacionamento com os seus clientes e amigos, todos eles observadores, integrados com a natureza.
7º lugar - Percevejo manchador, Disdercus sp, por  Adriano Castro Cruvinel.
8º lugar - Lagarta falsa medideira, por André Shimohiro.
9º lugar - Nematoide de cisto, por Fernando Cardoso Pereira.
10º lugar - Mariposa, Helicoverpa zea, por Elvison Alves Da Cruz.
11º lugar - Lagarta do cartucho, por MaC Donald Campos de Almeida.
12º lugar - Ferrugem polyssora do milho, por Michel A. Ribeiro Taques.
.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

A cana em sinuca de bico

Richard Jakubaszko 
Saiu a Agro DBO de agosto 2013, edição nº 47, como sempre tem novidades.
Praticamente não há agricultor sem problemas, Brasil adentro. Nos grãos, recorde de produção, de 185 milhões de toneladas. Bom para o governo e para os consumidores, ruim para os agricultores. Conforme registrado na edição 47, os problemas de logística, no armazenamento deficiente e no transporte despropositadamente caro, continuam crônicos, agravados pelos problemas fitossanitários, que se tornam agudos pela disseminação da Helicoverpa armigera, uma praga nova que ainda não aprendemos a controlar. Tudo isso está registrado na matéria da jornalista Marianna Peres, “Milho a céu aberto”.

No café, os baixos preços já ameaçam derrubadas de cafezais. Na cana de açúcar, a agroindústria encontra-se metida em uma encrenca de difícil solução, conforme registrado na matéria de capa “Sinuca de bico” e ainda na entrevista do mês com a presidente da Unica, entidade máxima do setor sucroalcooleiro.

Entre o fim da safra 2012/13 e o início da próxima os insumos já mostram a tendência de aumento de preços. O pior de tudo está para vir: os preços de milho e soja começaram a cair diante das perspectivas de uma safra recorde nos EUA e por causa da ameaça maior, a de que a China mantenha reduzido crescimento econômico, e com isso não aumente compras.

No fechamento da edição, outras más notícias: uma frente fria fortíssima, com neve e geada negra, traz problemas até mesmo para as culturas de inverno, como trigo, canola e cevada, e devasta o café no Norte do Paraná, além de gerar problemas nos hortigranjeiros, cuja subida de preços deve mostrar as caras ainda este mês de agosto. Com isso, mais pressão inflacionária. Sazonal, é verdade, mas uma pressão sobre a qual o governo terá pouca coisa a fazer. Como vimos a frente fria foi passageira, que a normalidade seja retomada, para que se possa entrar na safra 2013/14 com esperanças positivas.
Conforme informamos na edição de julho da Agro DBO, a partir deste mês teremos apenas o sistema de assinatura paga para todos os leitores e assinantes. Para cada assinatura confirmada teremos a certeza de que estamos no caminho certo. Temos a convicção de que poderemos atender, de forma cada vez melhor, as necessidades de informação dos leitores através das páginas da Agro DBO, afinal, todos nós, em sintonia com o leitor, respiramos apenas agricultura, a única forma de se produzir alimentos para um mundo que continua a se expandir demograficamente.

Para ler a edição de agosto clique no link e folheie a revista virtualmente: www.agrodbo.com.br 

Abaixo, em vídeo, dou um depoimento sobre outras matérias da edição.
.

sábado, 3 de agosto de 2013

Molion no Canal Livre: aquecimento é falso.

Richard Jakubaszko 
A grande mentira do aquecimento global parece entrar em período de desaquecimento. A mídia internacional tem questionado os cientistas sobre a inconsistência científica da ameaça do aquecimento feita pelo IPCC (International Panel Climatic Change, o Painel de Mudanças Climáticas, na sigla em inglês) da ONU. Os adeptos da sinistrose, os ambientalistas, ou, como costumo chamar, os biodesagradáveis, andam muito quietos ultimamente em sua cantilena.

No vídeo, que capturei no Youtube, o leitor do blog poderá assistir a mais recente entrevista do professor e físico Luiz Carlos Molion ao programa Canal Livre, da TV Bandeirantes, sobre diversas questões ligadas ao aquecimento. A rigor, o professor Molion não apresentou nenhuma novidade ou argumento diferenciado em relação a outras entrevistas dele próprio, inclusive no próprio Canal Livre, concedidas meses atrás. Mas é sempre positiva a sua interferência quando fala sobre o tema.

Neste blog tenho contribuído com o debate dessa polêmica questão, na medida em que sou também um cético do aquecimento. Percebo, contrariado, que as pessoas e a própria mídia, não debatem o assunto, apenas aceitam a propaganda massiva feita por grupos de interesses econômicos e políticos, que alardeiam a ameaça do aquecimento. Como a mídia simplifica e até mesmo banaliza o debate, hoje em dia tudo se resume a controlar as emissões de CO2, e esse é um dos perigos da ausência de debates, pois as políticas públicas e os esforços da sociedade concentram-se sobre uma premissa incorreta.

Daí que, como registra a história, chegamos ao "pensamento único", em que um absurdo é repetido ad nauseum e as pessoas aceitam tudo sem nada questionar.
.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Gre-nal de uma só torcida.

Richard Jakubaszko
Tucanaram o Ministério Público no Rio Grande do Sul...
Diante de um quiproquó durante o jogo Grêmio x Fluminense, domingo último, em que a torcida deu um sufoco nos brigadianos (a Polícia Militar do RS), depois que a polícia agrediu, pelas costas, um deficiente físico, algum juiz gremista decretou o fechamento de parte da Arena do Grêmio, por entender que "há falta de segurança". 
Consequência: domingo próximo tem Gre-nal na arena, e só a torcida do Grêmio poderá assistir o jogo, pois a parte interditada do estádio é a que seria reservada para os torcedores do Internacional... 
Tem coisa nisso aí!

No vídeo abaixo dá para assistir a uma parte do conflito entre os gremistas e a polícia, e as traulitadas que o deficiente levou nas costas, foi ao chão e depois foi arrastado por uma das pernas. Os policiais alegam que "suspeitaram" que a muleta poderia ser uma arma. E quase que apanharam da torcida revoltada...

É um efeito das passeatas e manifestações de protesto, pois os policiais andam meio estressados...
Ontem já havia nova decisão, que permitiu a venda de 1.500 ingressos para a torcida colorada. O Inter vendeu os mesmos só para seus sócios. Comenta-se nos pampas, à boca pequena, que foram vendidos só para os sócios com mais de 65 anos de idade, mas o Inter pediu comportamento civilizado pros tios e coroas...

.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Os desafios para uma agricultura sustentável

Maurício Carvalho de Oliveira
Os brasileiros, no geral, não conhecem a fome. Fome que em épocas de guerras devastou populações na Europa e na Ásia e assombrou inumeráveis famílias nos Estados Unidos, principalmente durante o período da depressão americana, agravado pela quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929.

Pavor que nunca experimentamos, mas que constantemente assola vastas populações no continente africano, em países como o Haiti e ainda contingentes de sul-americanos. Espectro esse que a humanidade necessita, de forma ética, democrática e cooperativa, prevenir e remediar.

Prevenir e remediar a fome significa produzir alimentos para uma população mundial crescente e em um quadro de demanda per capta também crescente, principalmente em proteína animal (carnes, lácteos e ovos), sem se esquecer da demanda por fibras e biocombustíveis. Esse é um dos grandes desafios do século XXI, cenário onde o Brasil se apresenta como um dos mais relevantes atores.

Para tanto, governo e sociedade devem atuar de forma cooperativa para colocar em prática políticas que permitam que a agropecuária aplique os estoques tecnológicos já existentes, ao mesmo tempo que possibilite a rápida ampliação dos conhecimentos científicos que sustentem as novas demandas sociais e preservem a qualidade ambiental.

A agropecuária, como qualquer atividade humana, não pode ser concebida dissociada do meio ambiente. A agropecuária, que alimenta o planeta, sustenta também diversos serviços ambientais por meio dos conhecidos agroecossistemas. É importante ressaltar que no Brasil, tem-se ainda cerca de 60% de nossos biomas preservados. Natureza virgem.

Cabe, ainda assim, a esta atividade humana a responsabilidade de produzir mais e mais alimentos. Alimentos para nós brasileiros e alimentos para um mundo faminto. De acordo com a ONU, seremos, até o ano 2050, cerca de 9 bilhões de pessoas vivendo neste planeta.

Temos no Brasil grandes extensões de terras agricultáveis, temos água e chuva em abundância, temos luz, tecnologias e empreendedores agrícolas nas pequenas, médias ou grandes propriedades, sem distinção, prontos para enfrentarem mais esse desafio.

Em face dessa realidade, e com vistas a dar mais um passo em direção à sustentabilidade no processo de produção agropecuária, o governo federal aperfeiçoou no Plano Agrícola 2013/2014, instrumentos para viabilizar a expansão da chamada Agricultura de Baixa Emissão de Carbono.

Tal política vem ao encontro das demandas da sociedade quando, em sua essência, busca aliar a produção de alimentos à sustentabilidade de uso dos recursos naturais. Instrumentos que viabilizam, de forma econômica, a recuperação de áreas de pastagens degradadas, a expansão e melhoria do Sistema Plantio Direto, a integração de atividades como a pecuária, a agricultura e as florestas, em uma mesma área, ampliar áreas irrigadas e outras tecnologias que protegem os nossos solos, as nossas águas e ao mesmo tempo, produz riqueza e garante segurança alimentar.

Entretanto, para que esta semente gere frutos duradouros, precisa de melhoramentos contínuo ao longo dos anos e, mais importante ainda, o apoio direto e indireto de toda a sociedade na construção de um futuro saudável e de paz, e não dessa visão dicotomizada dos que procuram inculcar na população, um antagonismo entre produção agropecuária e preservação ambiental.

A agricultura é capaz de cumprir ambas as funções. Para tanto, é necessário contar com regras claras e compatíveis com a realidade do campo e de cada propriedade em particular. Regras definidas em bases agronômicas, científicas. Não regras ditadas por burocratas iluminados de Brasília, ou de ambientalistas que desconhecem o labor do campo, a arte e a ciência envolvidas na produção agropecuária e o valor do pão nosso de cada dia.

* O autor é Engenheiro Agrônomo e Chefe da Divisão de Agricultura Conservacionista – Mapa
.