domingo, 22 de setembro de 2019

Reportagem vincula Greta Thunberg com lobistas verdes e empresas de energia

Richard Jakubaszko  
O fenômeno Greta Thunberg, que movimenta o mundo midiático e leva jovens do mundo inteiro a sair em passeatas pró defesa do meio ambiente continua agitando, mas a mídia inglesa coloca em dúvidas a transparência e o idealismo de suas atividades. Até agora, Greta, uma jovem sueca de 16 anos, tem sido aplaudida, e já teve até mesmo sugestões públicas de personalidades para ser indicada ao prêmio Nobel da Paz.

A reportagem saiu na insuspeita mídia inglesa, The Times, e levou muita gente a ficar de barbas de molho por apoiar Greta Thunberg, afinal, apenas uma garota que sofre de autismo, e que não gosta de viajar de avião, porque polui.


Greta Thunberg: A nova ativista do calendário global que visita o Chile
Por Meganoticias 05 de setembro de 2019
 

Pouco mais de um ano se passou desde que Greta Thunberg começou a tornar-se conhecida. Em 20 de agosto de 2018 a jovem então com 15 anos apareceu no parlamento da Suécia com um cartaz com a legenda: "Greve escolar pelo clima".
 
Esse ato foi o início do movimento "sextas-feiras para o futuro", reproduzido por estudantes de vários países do mundo que perdem aulas às sextas-feiras para protestar contra as consequências das mudanças climáticas e exigem políticas para interromper e reverter isso.

 
Greta parou de voar, viaja de trem ou, recentemente, a bordo do iate zero emissões, o "Malizia II", onde chegaria ao Chile em dezembro próximo para participar da COP25, o principal evento ambiental do mundo, a ser realizado no Parque Bicentenário da cidade da comuna de Cerrillos.

 
Fanatismo e rejeição
Ao longo dos meses, a figura da criança assumiu o status da face principal da mudança climática, o que resultou em uma espécie de fanatismo por parte das pessoas próximas às suas ideias.

No entanto, também atraiu detratores, um grupo liderado principalmente por negadores das mudanças climáticas. Por sua vez, há ceticismo sobre o quão sozinha ela está nesta cruzada, ou mesmo em relação à independência que ela tem, ou não, em suas ações.

 
Lobistas
Nesta linha, a renomada mídia inglesa The Times publicou um extenso relatório em agosto, no qual diz que Thunberg poderia, com ou sem conhecimento, ser usado por lobistas verdes e empresas com amplos interesses no setor de energia que se beneficiariam de uma mudança virtual do sistema de negócios em favor do meio ambiente, de acordo com um relatório da mídia espanhola El Mundo.

 
"O fenômeno Greta também envolve lobistas verdes, relações públicas, eco-acadêmicos e um grupo de especialistas fundados por uma ex-ministra social-democrata da Suécia, vinculada às empresas de energia do país. Essas empresas estão se preparando para a maior recompensa dos contratos governamentais na história: o esverdeamento das economias ocidentais". “Se Greta e seus pais sabem disso ou não, é o rosto de sua estratégia política", observa o relatório assinado pelo jornalista Dominic Green.

 
Rentzhog

O artigo do Times para na figura de Ingmar Rentzhog, fundador da plataforma We Don't Have Time, que publicou uma foto de Greta protestando fora do parlamento sueco.

 
No começo, Rentzhog disse que não conhecia a garota até aquela reunião, no entanto, a mídia mencionada acima disse que o homem admitiu por correio ter encontrado a mãe de Thunberg, Malena Ernman (foto abaixo) meses antes. Ao mesmo tempo, acrescentam que o homem havia sido informado por outro ativista de que Greta realizaria o já famoso protesto naquele dia e naquele local.

 
Desafio global
Até agora, nada alegadamente irregular. No entanto, em seu relatório, Green observa que Ingmar Rentzhog assumiu em maio passado como presidente do Think Thank Global Challenge, fundado por Krisstina Persson, ex-ministra de Desenvolvimento Estratégico da Suécia entre 2014 e 2016.

 
Ao mesmo tempo, eles apontam que uma das principais consultoras do Desafio Global é Catharina Nystedt Ringborg, que, entre outras coisas, é membro da Sustainable Energy Angels, uma empresa de capital de risco de energia verde que, segundo o The Times, tem amplo poder no setor de energia sueco.

 
"Quando Greta conheceu Rentzhog, ele já era o presidente assalariado de um grupo de especialistas particulares de propriedade de um ex-ministro social-democrata com experiência no setor de energia. Seu conselho estava cheio de poderosos interesses setoriais, incluindo políticos de carreira, líderes sindicais e lobistas, com links para Bruxelas. E seu vice-presidente do conselho, Ringborg, era membro de um dos mais poderosos grupos de investimento em energia verde da Suécia", afirmou a publicação.

 
A publicação admite a probabilidade de que nem a ativista menor nem seus pais estejam cientes dos dados e conexões estabelecidos. Ele ainda ressalta que o pai da menor, Svante Thunberg, disse que sua filha não colaborou com o Global Challenge, embora com We Don't Have Time, da Rentzhog.

 
"Para os titãs da energia na Suécia, como em outros lugares, salvar o planeta significa contratos governamentais. Os lobistas da energia verde estão usando táticas populistas de medo e uma cruzada de crianças para evitar representantes eleitos.

Mas o destino é tecnocracia, não democracia; benefício, não redistribuição. Greta, filha do capitalismo desperto, pode estar sendo usada para facilitar a transição para o corporativismo verde", conclui o relatório.

COMENTÁRIOS DO BLOGUEIRO:

O jornalista inglês que descobriu interesses lobistas por trás das atividades de Greta Thunberg deve ter lido meu livro "CO2 aquecimento e mudanças climáticas: estão nos enganando?"... e que entrou em 2ª edição este mês.

No livro, mas com outros personagens, faço as mesmas denúncias, em muito maior profundidade e com muito mais detalhes, sobre as financiadoras dessa campanha falaciosa das mudanças climáticas, cujo objetivo é criminalizar o CO2, emitido pela queima do carvão, para poderem vender energia nuclear, eólica e solar. Estão quase atingindo seus objetivos, pela omissão das pessoas, e com o apoio da mídia.

Quem desejar ler o livro e conhecer as manobras políticas, geopolíticas e econômicas do ambientalismo do IPCC, escreva para co2clima@gmail.com ou ligue ainda para 11 3879.7099 na DBO Editores, onde receberá instruções de como pode receber o livro em casa, autografado pelo autor. Custa R$ 40,00 mais as taxas de correios.
.

sábado, 21 de setembro de 2019

Água: quanto de mentira tem nessa falsa polêmica?

Richard Jakubaszko
É incrível a capacidade da mídia em replicar fake news, e depois colocam a culpa no Whatsapp...


No infográfico abaixo a Sabesp afirma que 1 kg de manteiga gasta 18 mil litros, e que 1 kg de carne consome 17 mil e 100 litros de água para serem produzidos. Daí que o site da Abril/Planeta Sustentável replica de forma acrítica a imbecilidade. Imbecilidade, aqui, empregada no sentido lato da palavra, que é um termo médico para indicar o adulto que tem o raciocínio emocional de uma criança de 10 anos.
Ora, o que importa isso? Revela, indiretamente, os grandes "gastadores" de água do planeta. Primeiro, não há coerência quando aponta que 1 litro de leite gasta 712,5 litros de água, e que 1kg de queijo gasta 5,289 litros de água. Ora, se manteiga e queijo são feitos de leite, e não entra água nessa produção, como é que existe essa diferença brutal? Ah! Sei, eles devem ter calculado a água da chuva...

Segundo, que a conta dessa pegada hídrica é uma lógica sem ciência. A Sabesp preconiza economia de água, porque pode faltar, é a ameaça embutida na mentira. Água não vai faltar, isso eles "esqueceram" de revelar. Pode faltar água tratada, para se tornar potável, este é o negócio da Sabesp, hoje uma empresa privada, com acionistas na Bolsa de Valores dos EUA, através de fundos de investimentos americanos.

Onde está o busílis? Esse está na mardita da estatística distorcida, pois quando se tortura a dita cuja ela confessa qualquer coisa, dependendo da análise do estatístico de plantão. Ou seja, tentam apontar os culpados pela "gastança de água", e descobrem a manteiga como a maior criminosa. Ocorre que, em números macros, apontados por um estudo tendencioso de uma universidade holandesa, o consumo de água em dois dos países mais secos do mundo (Israel e Espanha), indica que o consumo de água de um rio (é de lá que vem a água, né não?) é feito em 10% pela população (para comer, tomar banho, lavar roupa e a casa), 20% é feito pela indústria (lavagem de alimentos in natura, indústria de laticínios, conforme aponta o estudo da Sabesp etc.), e que 70% do consumo de água de um rio é feito pela irrigação na agricultura, a mais perdulária das  ações humanas.

Ora, mas as cidades do mundo inteiro não nasceram à beira de rios? Por que a água é fundamental? Estão querendo mudar essa lógica de consumo?

Ao mesmo tempo, me diga o leitor: quanto você imagina que as cidades retiram de água de um rio, já que todos eles correm para o mar? Informo: entre 1% e 5% do total das águas de um rio são consumidas pelos urbanos nas cidades. Ou seja, de 95% a 99% das águas dos rios desaguam nos mares, e reiniciam o ciclo hidrológico. Então, estamos discutindo que gastar 70% de 1% é perdulário? Definitivamente, a ciência imbecilizou...

Assim, a "água que você não vê", é uma divulgação fake news da Sabesp, uma mensagem truncada pelo marketing enganoso de uma empresa produtora de água, mentira que é avalizada pela mídia acrítica ambientalista. Uma empresa que trata a água, numa cidade como São Paulo, e que deixa 40% dessa água perder-se por canos furados no centro velho da capital paulista. Isso sim, é desperdício. Essa empresa não merece o crédito de ninguém! Para reduzir essa perda, a Sabesp, toda noite, desde 2014, entre 24h00 e 06h00 fecha a água dos cidadãos que moram no centro velho de São Paulo, sei o que é isso, moro no Bixiga, atendido pelas águas do reservatório Cantareira, que anda com 50% do seu manancial, enquanto que as demais represas que atendem a capital estão com mais de 90% estocadas de água.

Sabesp, vocês querem parar de mentir? A água não vai acabar, o planeta Terra deveria se chamar planeta Água, pois 71% da superfície do planeta é coberta por água. E água, principal meio de vida da humanidade, segue seu ciclo hidrológico, é 3 em 1, é líquida, ou sólida, ou gasosa. Recicla-se permanentemente. E a Sabesp passa a ideia de que água vai acabar, é finita, e que os seres humanos são perdulários, gastam água demais pra fazer manteiga. Acho que é para vender mais caro a água que eles tratam, ou não?

.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Universidade de Coimbra diz 'não' ao uso de carne bovina nas cantinas e indigna agropecuaristas

Richard Jakubaszko 
Recebi por e-mail, enviado pelo amigo Luís Amorim, lá da terrinha de além mar e trás os montes, notícia publicada nesta semana sobre mais uma ação dos ambientalistas, que andam histéricos por causa das políticas erráticas sobre o clima, e pretendem, pois então, defender o meio ambiente, a qualquer custo. Diz a notícia:

O reitor da Universidade de Coimbra, em Portugal, anunciou que os refeitórios da instituição vão deixar de servir carne bovina. A declaração foi feita durante a recepção de novos alunos nesta terça-feira (17) e gera polêmica em Portugal.

A medida faz parte de um conjunto de ações para que, até 2030, a Universidade de Coimbra se torne a primeira instituição portuguesa neutra nas emissões de gás carbônico.

"O primeiro passo será dado já em janeiro de 2020, com a eliminação total da aquisição e consumo de carne de vaca na nossa oferta alimentar nas cantinas universitárias", declarou o reitor Amílcar Falcão.

A Universidade de Coimbra tem 14 refeitórios que consomem, por ano, 20 toneladas de carne bovina. Segundo o reitor, o produto vai ser substituído "por outros nutrientes que irão ser estudados, mas que será também uma forma de diminuir aquela que é a fonte de maior produção de CO2 que existe ao nível da produção de carne animal".


Indignação do setor agropecuário
A medida não foi bem recebida pelo setor agropecuário nacional. Em comunicado enviado à Sputnik Brasil, a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) se diz "perplexa" com a notícia.

"A anunciada imposição, que privará alunos, professores e funcionários, de um elemento que faz parte da dieta alimentar portuguesa e mediterrânica, é uma limitação à sua liberdade de escolha e contribui para confundir os portugueses, porque é alarmista e assenta em pressupostos infundados", lê-se na nota.

A entidade reconhece que as atuais emergências climáticas devem ser consideradas, mas afirma que a decisão da Universidade de Coimbra tem base em "alarmismos incompreensíveis".

"O esforço de descarbonização faz-se com a Agricultura e com os Agricultores e não contra a Agricultura e contra os Agricultores. As pastagens biodiversas fixam mais toneladas de CO2 do que aquelas que são emitidas, ou seja, há um balanço positivo, que será tão mais positivo quanto mais produzirmos em território nacional com o nosso tradicional tipo de produção", afirma a CAP na nota.

Outras entidades do setor, como a Confederação Nacional de Agricultura e Associação dos Produtores de Leite de Portugal, também se manifestaram publicamente contra a medida. A Associação Académica de Coimbra, que representa os estudantes, apoiou a decisão do reitor. 

 
Alarme das Nações Unidas
Dados da ONU apontam que a criação de gado é responsável por 18% das emissões de gases de efeito estufa em todo o mundo e as previsões são de aumento caso o modelo atual de agricultura não seja revisto. Até 2050, a Fundação das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) estima um crescimento de 70% na produção de carne global.
'Universidade mais brasileira fora do Brasil'

Fundada em 1290, a Universidade de Coimbra é a nona mais antiga do mundo e tem renome internacional. Patrimônio Mundial da Unesco desde 2013, foi a primeira instituição portuguesa a aderir ao programa Enem Portugal, em 2014, que aceita a nota do Exame Nacional do Ensino Médio para o ingresso de brasileiros. Atualmente, é considerada a "universidade mais brasileira fora do Brasil", com mais de dois mil estudantes do país matriculados.


OBSERVAÇÕES DO BLOGUEIRO:
Foi com o espírito de desconstruir a mística mentirosa do "aquecimento" que escrevi o livro "CO2 aquecimento e mudanças climáticas: estão nos enganando?". Sabemos que, quando pressionadas, as pessoas tomam as decisões mais tresloucadas, e essa notícia sobre a Universidade de Coimbra não é outra coisa. De toda forma, é uma guerra de perdas e ganhos, e deverá ser longa, ora perderemos algumas batalhas, ora ganharemos outras. Até aqui o saldo tem sido negativo, o espírito punitivista dos ambientalistas ganha corpo entre os mais insuspeitos, como o desse reitor da Universidade de Coimbra.
Tudo isso acontece pela omissão das lideranças políticas do país e do setor da pecuária de corte, em Portugal, no Brasil, e no mundo, pois a idiotice não escolhe vítimas. É o contrário...

A quem desejar conhecer os argumentos contra a mentira do aquecimento e das mudanças climáticas vale a recomendação, leia o livro, e deixe de ser omisso, ou esses veganos ainda vão acabar proibindo nossa prazerosa atividade de comer um churrasquinho.

Para comprar o livro envie e-mail para  co2clima@gmail.com  ou ligue 11 3879.7099 que a gente informa como fazer o depósito, e vc recebe o livro em casa, autografado pelo autor.


.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Nutrição mineral: a importância dos minerais para a saúde humana


Daniel Magnoni *


Para a manutenção de um bom funcionamento, o corpo humano precisa de uma ingestão diária dos nutrientes adequados. Uma das categorias de nutrientes essenciais para o corpo, assim como as vitaminas, são os minerais. Minerais são elementos inorgânicos que desempenham um grande papel no equilíbrio de fluídos do organismo, além de formar a estrutura de ossos e dentes e participar de uma série de processos enzimáticos. Existem cerca de 20-25 minerais que desempenham algum papel na saúde humana e alguns deles serão listados a seguir:


Cloreto – o cloreto, assim como o sódio e o potássio, participa no equilíbrio entre fluídos e eletrólitos. No estômago, ele é um dos componentes do ácido clorídrico, que mantém a forte acidez do suco gástrico. A deficiência de cloreto raramente acontece, sendo ele facilmente consumido através dos alimentos por ser um componente do cloreto de sódio (sal de cozinha). 

Potássio – assim como o sódio e o cloreto, participa na manutenção do equilíbrio entre fluidos corporais e eletrólitos. Também ajuda a manter a integridade das células e, juntamente com o sódio, desempenha importante papel nas transmissões nervosas e nas contrações musculares. As melhores fontes desse mineral são os alimentos frescos, como leite, frutas e vegetais, sendo que alimentos processados são pobres em potássio. 

Cálcio – o cálcio é o mineral mais abundante no corpo humano, conhecido principalmente pela sua participação na formação dos ossos, que também funcionam como uma reserva de cálcio.

O cálcio também participa de reações como a transmissão de impulsos nervosos, a contração muscular, o controle do pH do organismo, regulação de reações bioquímicas e a coagulação do sangue. As principais fontes de cálcio da alimentação tendem a ser o leite e os laticínios, porém, outras boas fontes de cálcio podem ser encontradas em sardinhas, ostras, tofu e vegetais folhosos verde-escuros, como brócolis, couve e mostarda. Sementes de gergelim também são uma boa fonte de cálcio. 

Fósforo – é o segundo mineral mais abundante no corpo, tendo 85% do seu total concentrado nos ossos. O fósforo é muito importante para o metabolismo energético, para a absorção de nutrientes e para a contração muscular. As melhores fontes alimentares de fósforo são carnes, ovos, leite e derivados, cereais e leguminosas. 

Magnésio – cofator de mais de 300 reações enzimáticas, participa no metabolismo energético, de carboidratos e da síntese de gorduras e proteínas, além da replicação do DNA. Juntamente com o cálcio, ele participa da coagulação sanguínea e da contração muscular. O magnésio é encontrado em alimentos como cereais integrais, folhas verdes, nozes, leguminosas, especiarias, frutos do mar, café, chá e cacau. 

Sulfato – forma oxidada do mineral enxofre, o sulfato ajuda a formar a estrutura de algumas moléculas de proteína. Cabelos, unhas e pele possuem estruturas proteicas mais rígidas, que contém alta quantidade de enxofre. Não há recomendação para a ingestão diária de enxofre, uma vez que as necessidades do organismo são facilmente alcançáveis com o consumo de proteínas. 

Boro – foi descoberto como nutriente essencial para as plantas nos anos 1920, na qual age como importante fator para a maturação e diferenciação celular, porém seu papel na saúde humana só começou a ser investigado a partir dos anos 1980. Ele parece influenciar o metabolismo do cálcio e a deficiência de magnésio nos ossos, além da composição e força do osso. Suas melhores fontes são vegetais (frutas, vegetais folhosos, castanhas e leguminosas). 

Ferro – essencial para a manutenção das atividades celulares, sua deficiência é um problema comum para milhões de pessoas. Ele está presente tanto em alimentos de origem animal, quanto em alimentos de origem vegetal, sendo que alimentos de origem animal possuem ferro na forma de ferro heme e não-heme e alimentos vegetais possuem apenas a forma não-heme, que possui uma taxa de absorção menor quando comparada a versão heme. A forma não-heme é encontrada em vegetais como grão, vegetais folhosos escuros, cereais e leguminosas. Cerca de 2/3 do ferro estão localizados no sangue como parte da hemoglobina, participando no transporte de oxigênio pelo corpo. Enzimas envolvidas na produção de aminoácidos, colágeno, hormônios e neurotransmissores necessitam de ferro para poderem funcionar. 

Manganês – a maior parte do manganês do organismo está localizada nos ossos e em órgãos como fígado, rins e pâncreas. O papel dele é auxiliar o funcionamento das enzimas envolvidas no metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos, além de participar no processo de formação de colágeno e dos ossos. As melhores fontes de manganês são grãos, frutas, verduras folhosas, leguminosas e castanhas. 

Zinco – o zinco está presente em quase todas as células do corpo, mas suas maiores concentrações estão nas células dos ossos e músculos. Ele é cofator para mais de 200 enzimas, agindo no funcionamento do sistema imunológico, exercendo papel anti-inflamatório e fortalecendo as defesas contra os radicais livres. Também participa do crescimento e desenvolvimento do organismo desde o desenvolvimento fetal, da síntese de proteínas, da produção, armazenamento e liberação da insulina, de reações de coagulação, do funcionamento da tireoide e também do desenvolvimento cerebral. Alimentos ricos em proteínas costumam ser fontes de zinco, como carnes, frutos do mar, leguminosas e grãos integrais. Seu conteúdo nos vegetais varia de acordo com o teor de zinco presente no solo em que foram cultivados. 

Cobre – como parte de uma série de enzimas, seu principal papel é participar do metabolismo de ferro, auxiliando o mineral a se ligar na transferrina, proteína responsável pelo seu transporte pelo corpo, fazendo com que seja um fator-chave na síntese de hemoglobina. Enzimas que possuem cobre e zinco participam das defesas do organismo contra os danos causados pelos radicais livres. Também participa do metabolismo energético e da produção de colágeno. As melhores fontes de cobre são leguminosas, grãos integrais, castanhas, sementes e mariscos. 

Molibdênio - o molibdênio é encontrado em pequenas quantidades em todos os fluidos e tecidos corporais. Ele atua como cofator de um pequeno número de enzimas que são essenciais para a metabolização de substâncias que seriam nocivas caso se acumulassem no organismo. Por ser usado em poucas quantidades pelo corpo, as necessidades de ingestão desse mineral são muito pequenas. As melhores fontes são leguminosas, vegetais folhosos escuros, leite, fígado e grãos. 

Níquel – as pesquisas sobre a função do níquel no organismo são relativamente novas, mas supõe-se que esteja relacionado a reações de quebra de cadeias de alguns aminoácidos e ácidos graxos. As plantas são as melhores fontes de níquel, principalmente as nozes e castanhas.

É indiscutível a importância de uma alimentação variada e rica em alimentos in natura para que haja a ingestão adequada de minerais. Assim, também é fundamental destacar o papel que a composição adequada dos solos de cultivo exerce na nutrição do vegetal, fazendo com que a fertilização seja uma importante estratégia para garantir que o alimento possua boas quantidades de minerais disponíveis para o consumo humano.

Para solos que não apresentem a disponibilidade necessária de nutrientes, a complementação através do uso de fertilizantes é a maneira mais rápida de nutrir as plantas, permitindo o equilíbrio nutricional dos alimentos. 

* o autor é médico, consultor da iniciativa Nutrientes para a Vida (NPV), diretor de Serviço de Nutrologia e Nutrição Clínica do Hospital do Coração – Hcor, Mestre em cardiologia pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP; especializado ainda em Clínica Médica, Nutrologia e Nutrição Parenteral e Enteral pela Associação Médica Brasileira – AMB / Conselho Federal de Medicina – CFM. 

Nutrientes para a Vida

Todo ser vivo necessita de nutrientes. Eles são incorporados ao seu metabolismo para manter o ciclo vital. Portanto, as plantas também precisam de nutrientes e é justamente nos fertilizantes que eles se encontram.

É para garantir que as plantas recebam todos os elementos essenciais a seu bom desenvolvimento, habilitando-se assim, para a produção de culturas de fato saudáveis para a alimentação humana que a Iniciativa Nutrientes para a Vida (NPV) trabalha ininterruptamente. Sua missão é esclarecer a sociedade brasileira, com base em estudos científicos, sobre a importância e os benefícios dos fertilizantes na produção e qualidade dos alimentos bem como sua utilização adequada.

A NPV é uma extensão nacional do projeto Nutrients For Life, que já colhe importantes frutos em outros países, como Estados Unidos, onde nasceu, Canadá, México e Colômbia. Destaca o papel essencial dos diversos tipos de fertilizantes na segurança alimentar e nutricional, além de seu efeito multiplicador na produtividade de culturas.

,

domingo, 15 de setembro de 2019

Navio com "guerreiros da mudança climática" preocupados com o derretimento do gelo do Ártico fica preso no gelo

Richard Jakubaszko  
Um navio que transportava passageiros que incluía um grupo de "Guerreiros da Mudança Climática", preocupados com o derretimento do gelo do Ártico, ficou preso no meio do gelo entre a Noruega e o Polo Norte.

Oh A ironia.

O navio Ártico MS MALMO, com 16 passageiros a bordo, ficou preso no gelo em 3 de setembro na Longyearbyen, arquipélago de Svalbard", relata o Boletim Marítimo. "O navio está em turnê no Ártico com a equipe de documentários sobre mudanças climáticas e turistas, preocupados com as mudanças climáticas e com o derretimento do gelo do Ártico.

Os passageiros foram evacuados com segurança por helicóptero. "Algo está muito errado com o gelo do Ártico, em vez de derreter conforme solicitado pela UN / IPCC, ele capturou o navio com os Guerreiros da Mudança Climática", brincou Erofey Schkvarkin.

A história é semelhante a um incidente de 2014, quando um quebra-gelo chinês teve que ser enviado para resgatar dezenas de pesquisadores e ambientalistas do aquecimento global que ficaram presos em um navio que ficou preso no gelo antártico.

A criança ambientalista Greta Thunberg não comentou o último incidente.
Publicado em: https://summit.news/2019/09/11/ship-carrying-climate-change-warriors-concerned-about-melting-arctic-ice-gets-stuck-in-ice/


COMENTÁRIOS DO BLOGUEIRO: 
Nem precisa comentar nada, né não? No livro "CO2 aquecimento e mudanças climáticas: estão nos enganando?", que saiu de gráfica semana passada, já em 2ª edição ampliada e revista, eu publicaria esse fato como capítulo de humor...

.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Fotos de bebês fofíssimos

Richard Jakubaszko   
Que coisas fofas esses bebês, né não? Crianças e bichos, alegrias da vida.
 
 









terça-feira, 10 de setembro de 2019

Saiu a 2ª edição do livro "CO2 aquecimento e mudanças climáticas: estão nos enganando?"

Richard Jakubaszko 
   
Sucesso de crítica entre os seus leitores, o livro ganhou na 2ª edição, ampliada e revista, novos capítulos que atualizaram o conteúdo desde que o livro saiu, em agosto de 2015.

Na primeira edição previmos, por exemplo, que aquilo que está acontecendo hoje, em relação à Amazônia e os desmatamento e queimadas, provocariam tentativas de expropriar a soberania do Brasil sobre a grande floresta, ou mesmo as propostas de proibir a importação de soja e carnes do Brasil, e estas seriam desculpas e justificativas para punições. No modo de entender dos países europeus não estamos cuidando da Amazônia como eles acham que devemos cuidar. Na segunda edição mostramos, inclusive, um mapa do chamado Território de Anaconda, área sobre a qual o Brasil poderá perder a soberania, sob os aplausos de inúmeros países, inclusive de brasileiros.

A 2ª edição do livro "CO2 aquecimento e mudanças climáticas: estão nos enganando?" traz ainda análises e estatísticas sobre a causa provável da existência dos fenômenos El Niño e La Niña, em capítulo do físico, climatologista e professor Luiz Carlos Molion, em teoria muito bem fundamentada que tem sido debatida com aplausos nos meios científicos ligados à climatologia. Mostra também que o Brasil não precisa de usinas nucleares, e que o mundo ficou mais verde nos últimos 10 anos.

Com tudo isso, a 2ª edição deste livro avança na proposta inicial de debater em profundidade a hipótese do aquecimento e das mudanças climáticas em diversos aspectos de suas previsões apocalípticas. Os ambientalistas negam-se a debater o assunto, e reagem de forma infantil, aplicando a nós, os céticos, acusações indevidas de engajamento com a indústria petrolífera e dos combustíveis fósseis, o que é no mínimo risível, pois o fóssil combatido pelos ambientalistas é o carvão, altamente poluidor quando utilizado como matéria prima na produção de energia elétrica.

No vídeo abaixo um booktrailler que foi produzido para fazer você conhecer as razões básicas que os coautores apresentam nesta obra, agora reconhecida pelos leitores como fundamental e básica para entender os interesses de alguns grupos de ambientalistas para acusar e criminalizar o CO2 como poluidor e maléfico, além de causador do apocalíptico aquecimento, quando o CO2, na verdade, é o gás da vida, responsável pela produção de alimentos.

A ideia central do livro é a de desconstruir o que chamamos de "a grande mentira do século XXI".

O livro está à venda pela internet, e pode ser adquirido através do e-mail co2clima@gmail.com ou pelo fone 11 3879.7099 onde fornecemos instruções para pagamento. O custo de venda do livro é de R$ 40,00 reais, mais despesas postais (em média de R$ 9,70 para todo o Brasil). Algumas redes de livrarias, também estão disponibilizando a venda do livro pela internet e até mesmo fisicamente. A vantagem que oferecemos é que você receberá o livro autografado pelo autor, em seu nome, e em sua casa.

.

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Lava jato: "O grampo seletivo”

Fernando Brito *

O que os diálogos obtidos pelo The Intercept e divulgados na edição de domingo último da Folha de S.Paulo comprovam, pode ser descrito, de forma resumida, da seguinte maneira: era a contragosto que Lula iria assumir a Casa Civil do governo Dilma Rousseff, não para obter o foro privilegiado – o contrário do que se induziu a opinião publica a crer e que fundamentou a decisão de Gilmar Mendes de impedir sua posse. E que, além disso, a “distração” de Sérgio Moro, ao levantar o sigilo do processo e tornar pública a gravação da ex-presidenta – pela qual “desculpou-se” com o STF – foi meticulosamente preparada por ele e pelos procuradores para obter efeitos políticos, com o aval de Rodrigo Janot, através de seu chefe de Gabinete, Eduardo Pelella.

Embora fosse do conhecimento da PF, do MP e de Moro que, em diversas conversas, Lula relutava “em aceitar o convite de Dilma para ser ministro e só o aceitou após sofrer pressões de aliados”, apenas o diálogo em que Dilma dizia que estava mandando o termo de posse assinado – o ex-presidente tinha de ir a São Paulo, ver a mulher, Marisa, adoentada à época, e combinara tomar posse apenas alguns dias depois – foi anexado ao processo e, quase que imediatamente, anexado ao processo que seria, a seguir, liberado para a imprensa.

Ou seja, o país tomou conhecimento de um “grampo selecionado”, com o qual se convenceu a muitos – e até um ministro do Supremo – que havia uma trama para dar proteção jurídica a Lula, o que todas as autoridades envolvidas no “grampo” sabiam que não existia. A trama, portanto, mais que ilegal e antiética, era uma armadilha para atirar a opinião pública contra Lula e “justificar” a absurda “condução coercitiva” realizada poucos dias antes, arrastando o ex-presidente, de camburão e tudo, para depor no Aeroporto de Congonhas, antes mesmo de ele ter sido, sequer, intimado a prestar declarações sobre as acusações que sofria.

O que as gravações revelam, se é que ainda havia alguma dúvida nisso, é que o processo contra Lula foi conduzido descaradamente como uma conspiração entre Polícia Federal, Ministério Público e o então juiz Sérgio Moro.

Os procuradores comentam abertamente que a manipulação poderia trazer problemas para o juiz, mas que “filigranas jurídicas” não iam importar perto do “contexto político” e chegaram a falar sobre maneiras de reagir, caso se fizessem objeções aos atos de Moro, desde uma “renúncia coletiva” até um pedido de prisão do ex-presidente, como formas de criar comoção popular.

Era uma quadrilha em ação. E ainda é.

* o autor é jornalista, editor do blog Tijolaço.
Publicado em http://www.tijolaco.net/blog/o-grampo-seletivo/

.