sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Chamem o ladrão, que a polícia não funciona mais...

Richard Jakubaszko

A manchete do Estadão de hoje é acachapante e bombástica, pois informa que o salário médio em estatais é de R$ 34 mil reais mais benefícios. Se verdadeira, se não há exageros jornalísticos nessa manchete para vender mais jornal, o que denotaria uma nova variante de postura ética jornalística do centenário jornal, precisamos reavaliar posturas cívicas como cidadãos. Eu, em particular, se verdadeira a manchete, me declaro absolutamente a favor de privatizar tudo, Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Eletrobras, enfim, tudo, para acabar com essa farra espoliativa dos cofres da viúva, hoje conhecido como Tesouro. Não li a matéria, porque não sou assinante do jornal, mas admitamos, nem precisaria, porque a manchete diz tudo. A não ser que os R$ 34 mil sejam um salário médio anual. Neste caso, feche-se o jornal por falta de decoro jornalístico.

Ao mesmo tempo, se tudo é verdadeiro, e se os salário são valores mensais médios, aí sim, temos um absurdo merecedor da manchete, e que se use de algum artifício constitucional para convocar urgentemente uma eleição nacional que eleja um Congresso Constituinte de notáveis para se promover uma reforma política, a ser designada pétrea e imutável, antes de qualquer outra reforma. Esta reforma política deve determinar um congresso menor, algo como 300 deputados federais, sem o Senado, por exemplo, e que os deputados eleitos tenham obrigatoriamente representatividade através do voto. Por exemplo, que se estabeleça que um deputado federal para ser eleito tenha um mínimo de votos em seu estado, proporcional à população, e que se tiver excesso de votos que isto não seja transferido a candidatos de seu partido como é hoje, quando um candidato bem votado ajuda a eleger outros 5 ou mais deputados. Isto faz, em São Paulo, que candidatos com 10 mil votos possam tomar posse, enquanto que candidatos com mais de 100 mil votos fiquem de fora, contrariando toda e qualquer lógica e bom senso de uma eleição. É essa distorção que facilita e impulsiona a existência de deputados do chamado centrão, que acabam agindo como exploradores do butim público, acobertados pelo mandato a que não tem direito.

Cada estado só teria um número de deputados eleitos proporcional à sua população, e, da mesma forma o Senado, se esta casa conseguir manter sua sobrevivência como casa de referendo como é hoje. Não há lógica em manter 3 senadores para cada estado, independentemente do tamanho de sua população como é hoje. Isto leva a que São Paulo, no Senado, tenha a mesma importância do que Sergipe ou Alagoas, que possuem menos de 10% dos eleitores de São Paulo, negando a proporcionalidade eleitoral. Essa foi uma das heranças da ditadura militar que implantou primeiro o senador biônico (escolhido pela presidência) e depois incorporou o mesmo como representante de cada estado.

Se não tivermos a constituinte com prioridade em uma reforma política, o Brasil nunca será um país sério. Seria melhor, então, chamar o ladrão, porque a polícia não funciona mais, muito menos a justiça comum, ou a eleitoral, e o resultado é o que temos hoje, deputados e senadores votam e aprovam benefícios para seus amigos, com altos salários nas estatais, mais benefícios, e o povo que se ferre, que coma brioches...

OBS.
mal publiquei o post, amigos me enviaram a matéria do Estadão. Está aí embaixo, no lead da matéria fala em salário mensal do recordista, mas no meio da matéria sai um "salário anual' inexplicável. A jornalista responsável fez algumas confusões sobre o que seja salário, peca nos exageros, claro, e mostra que há barbaridades.
  



  

 

 

 

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

A dança da vida

Richard Jakubaszko  
O lado bom da vida é que nossa capacidade de criar é ilimitada diante das vicissitudes da própria vida, considerando o livre arbítrio como um imperativo.


.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

A carta de Barra Torres, que Bolsonaro não teve a dignidade de responder

Richard Jakubaszko  

Mais uma semana que se encerra e o estilo Bolsonaro de "governar" nos mostra mais uma faceta de sua enorme variedade de fraquezas morais. Semana passada, Bolsonaro insinuou levianamente várias coisas sobre os "tarados por vacinas", dentre eles o presidente da Anvisa e sua equipe, de ter interesses ocultos sobre vacinar tanta gente contra a covid-9 e especialmente crianças de 5 a 11 anos de idade.

Entre irritado, e com toda a certeza muito magoado, além de injustiçado, o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Antônio Barra Torres, personagem central das desconfianças e acusações do presidente de plantão, não foi o primeiro a combater as infâmias e as mentiras presidenciais, e escreveu uma carta aberta histórica para Bolsonaro:

"Como cristão, Senhor Presidente, busquei cumprir os mandamentos, mesmo tendo eu abraçado a carreira das armas. Nunca levantei falso testemunho", ressaltou Barra Torres, médico e contra-almirante da Marinha, com 32 anos de serviços prestados.

"Vou morrer sem conhecer riqueza, Senhor Presidente. Mas vou morrer digno. Nunca me apropriei do que não fosse meu e nem pretendo fazer isso, à frente da Anvisa.

Prezo muito os valores morais que meus pais praticaram e que pelo exemplo deles eu pude somar ao meu caráter.

Se o senhor dispõe de informações que levantem o menor indício de corrupção sobre este brasileiro, não perca tempo nem prevarique, Senhor Presidente. Determine imediata investigação policial sobre a minha pessoa, aliás, sobre qualquer um que trabalhe hoje na Anvisa, que com orgulho eu tenho o privilégio de integrar. Agora, se o Senhor não possui tais informações ou indícios, exerça a grandeza que o seu cargo demanda e, pelo Deus que o senhor tanto cita, se retrate."

A resposta de Bolsonaro, que poderia mostrar algum raro e inexistente traço insignificante de grandeza nesse estrupício que ocupa a presidência da República, foi apenas um leviano deixa pra lá, e queixou-se num comentário de corredor que foi (uma carta) "muito dura"... 

Olha só, Bolsonaro ainda se considera vítima de acusações muito duras... Acusa subalternos, insinua que possam estar em corrupção, e depois tira o corpo fora. Faz que nem as rachadinhas dos filhos, não é nada com ele...

Graças a Deus, existem pessoas como Antônio Barra Tores. Foi nomeado por Bolsonaro para a presidência da Anvisa, mas é indemissível, e seu mandato vai até 2024. Eu aqui, debaixo de minha insignificância, me declaro fã incondicional de Barra Torres. Dou força e encareço: "vomita nele de novo, Barra, esse cara não tem noção de coisa nenhuma".


.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

O capeta vai te dizer bem-vindo Jair, quando vc chegar ao inferno, pode anotar

Richard Jakubaszko  
A OMS - Organização Mundial da Saúde hoje refutou declarações desse cidadão birrento chamado Jair Bolsonaro que metade do povo brasileiro elegeu como presidente em 2017, mas agora anda arrependido tardiamente. Pois Jair deu as boas-vindas ao vírus ômicron, comemorou a redução de internados no Brasil como se fosse o efeito imunização de rebanho atingido no Brasil, e não consequência da vacinação atingida de quase 70% da população adulta.

Bolsonaro é um cabra da peste teimoso, teimoso como porta sem tranca em dia de ventania, que sempre acha que tem razão, e nunca muda de opinião, mesmo que evidências e provas irrefutáveis sejam apresentadas a ele, esfregadas em seu nariz. Ele acha que vacina não funciona e não é necessária. Daí o pedido urgente de cidadãos brasileiros sensatos terem solicitado pra OMS desmentir o indigitado Jair.

O capeta é que vai te dar as boas vindas Jair Bolsonaro quando chegares ao mais profundo inferno para viver o teu resto de eternidade, e espero que isso aconteça em breve, pois todo mundo morre, como vc mesmo admitiu, e vc não será exceção.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

Prevent Sênior, experiências que nos enojam

Richard Jakubaszko 
A Prevent Sênior de São Paulo, seja porque cresceu empresarialmente de forma muito rápida, seja porque são amigos do el rei que está na presidência deste país, no momento amaldiçoado, anda mentindo muito em sua publicidade e no seu marketing. Mentem ao falar em "experiências que encantam", em vez de assumir "experiências que enojam". Vejam abaixo porque estou deixando de ser cliente Prevent e do porque não recomendarei mais a ninguém que seja cliente da Prevent.

Fui ao pronto atendimento da Prevent Paraíso dia 5 de janeiro último. Depois de pegar senha e aguardar a triagem, em 30 minutos fui despachado para atendimento médico, com sintomas fortes de gripe. Após exames e conversas o médico ficou em dúvida sobre ser uma forte gripe ou covid-9. Deu-me 2 papéis, com tratamentos diferentes para o resultado que viesse a ser apontado num terceiro papel em que pediu exames rápidos para diagnosticar meu problema de saúde. Fui até a sala de coleta de material, procedimento realizado a enfermeira informou que no aplicativo ou no site da Prevent meus resultados estariam prontos em duas horas, ainda no dia 5 de janeiro.

Não ficaram prontos, nem mesmo até as 19h00 do dia 5, quando reclamei no aplicativo do celular o atraso do resultado. Agora percebo, o atendente, um tal de Ricardo, doido pra me despachar, perguntou se era teste rápido ou PCR, e respondi que não sabia, deduzi que seria o rápido, porque estava com a prescrição médica, que dependia dos resultados. Pois o atendente me despachou ao dizer que se for PCR demora 3 dias pra sair o resultado, e saiu da sala de chat.

Voltei ao site e ao aplicativo várias vezes, entre o dia 5 e até o dia 8 janeiro 2022, sábado, quando completaram-se os 3 dias de prazo. Nada dos resultados. Voltei a contactar pelo chat e por telefone, reclamando meus direitos, e solicitando os resultados. Sempre repetindo os mesmos procedimentos, informando nome, data de nascimento, apesar de estar no aplicativo do meu celular, que tem identificação facial como sistema de segurança. O que eu ouvia dos atendentes eram meras desculpas e suposições, do tipo "são 3 dias úteis, ainda estamos no prazo", ou seja, sábado não conta, pois o vírus tira folga, e o burrocrata também. E toma mais espera, uma experiência, portanto, que cansa, e enoja, porque o doente sou eu, a ansiedade é minha, o problema é meu, na Prevent ninguém quer saber de mais nada além de dar uma desculpa. Só querem que eu deixe de incomodar. Sorte minha que não piorei, e já no sábado apresentei melhoras. mesmo sem ter usado nenhuma das prescrições do médico, por não saber o que eu tive, se gripe ou covid-19, mesmo tendo sido vacinado para gripe e para covid, neste caso duas doses de Coronovac, e uma terceira dose de reforço (Pfizer) em novembro último.

Desisti de ter os resultados no sábado, me acalmei diante o não atendimento dos meus direitos e necessidades, e procrastinei para hoje, segunda, para saber o que me acometeu entre 5 e 7 de janeiro. Que foi vírus já sei disso, mas tenho o direito de saber qual, se vírus da gripe ou coronavírus. Até porque um novo problema se avizinhava, diante do meu estado de retiro solitário dentro de casa, sem contato com nenhum parente, esposa, filha ou neta, esta que veio de longe depois de tanto tempo de pandemia e nos visita neste período de festas. A solidão me trouxe enorme irritação, a pressão arterial subiu de forma perigosa, tudo porque havia a ausência dos resultados, culpa de alguém pouca prática da Prevent. Ou de burrocrata irresponsável, que trabalha descontente, porque ganha pouco. É a síndrome do bater de asas da borboleta, que modifica a história.

Chegamos na segunda, tudo se repete burocraticamente, nos chats do celular e do site. Até o momento em que consigo, por obra divina, estabelecer contato telefônico, e um contato mais humano, evidentemente que emoções reprimidas desde quarta, dia 5, soltaram-se, demonstrando toda a raiva que eu sentia. Quando a atendente despreparada me disse que ainda estamos no prazo de 3 dias úteis, que vence só à tarde, critiquei o descaso da empresa, o desinteresse do corpo diretivo clínico por adotar esses procedimentos e protocolos, porque o vírus não passou o fim de semana descansando. E pedi meus resultados. Quando a atendente me informou que havia uma sala de diagnósticos que eu deveria visitar e saber dos meus resultados, com login e senha diferenciados que estavam sendo enviados ao meu e-mail cadastrado, explodi, informando que não queria uma terceira alternativa de local para ver resultados de exames, queria os resultados no aplicativo do meu celular e/ou no site na página do usuário, ao lado da página do "experiências que encantam". Gritei que não queria mais desculpas, mas apenas conhecer meus resultados. Porque a vontade que eu tinha era de pegar um martelo bem grande e voltar no PS Paraíso pra quebrar tudo...

A atendente me desligou o telefone na cara, mas disse antes que eu iria ser contido pelos seguranças. Bom, agora, além de estar sem meus resultados de exames fiquei com medo de ser processado pela Prevent por ter feito ameaças condicionais... 

Eita mundo moderno! Lamentavelmente a gente chega ao quase final da epidemia com esse tipo de gente, com experiências que nos enojam. Isso frustra, porque quem era de boa fé como eu imaginava que o novo normal seria um recomeço para algo melhor da experiência humana, e não esse tipo de imbecilidade e cretinice que a Prevent nos mostra, mesmo tendo sido personagem central da CPI ano passado sobre o uso de remédios impróprios, como cloroquina e ivermectina, sem contar dos testes e experiência com pesquisas não autorizadas, cujos processos e investigações me parece que continuam. Nem mais nem menos, já ouvi por aí mensagens que me chegaram aos ouvidos de que os procuradores fecharam acordo com a Prevent para pagar uma pequenina multa e encerrar o causo.

É este o país dos amigos de Bolsonaro, do qual a Prevent financiou campanha em 2017, os donos da Prevent trocaram uns 2 executivos e tudo ficou feliz por isso mesmo, sem destruir a empresa.

COMENTÁRIO ADICIONAL DO BLOGUEIRO
Hoje por volta de 17h00 voltei pessoalmente ao pronto socorro da Prevent no Paraíso. Consegui acesso à Ouvidoria, colocada em salinha acanhada (1 m x 0,80 cms), depois de um banheirinho, antes de chegar a um local onde estão colocados garrafões de gás. A saletinha tem um armarinho de parede, suspenso, uma mesinha suporte para tela de computador, mais uma cadeira, e outra cadeira para visitantes. Informei a senhora que lá estava e que foi gentil e objetiva no meu atendimento. Fez consultas internas via telefone e, em 2 minutos, localizou meu exame, foi buscar e voltou com o resultado impresso, com o resultado de positivo para Covid-19. Data do resultado, 17h42 de 05/01/2022, conforme se pode no exame impresso, e que vou guardar como prova do crime culposo. Estava no sistema interno disponível aos médicos desde duas horas após a coleta. A senhora Ouvidora pediu desculpas, pois são raros mas acontecem esses problemas, a informação vai para o sistema interno e não é disponibilizada no site e/ou no aplicativo da Prevent.

Ou seja, desde dia 05 sou positivo para Covid-19, provavelmente a ômicron, tive sintomas leves dias 5, 6 e 7, depois disso melhorei, a partir de 8 de manhã, quando as dores no corpo sumiram, a coriza reduziu, a febre não voltou mais, os olhos pararam de arder, e o olfato retornou. Mas agora ao final da tarde, minha mulher sentiu uma coriza evoluir e minha filha relatou dor de garganta. A neta ainda não relatou sintomas, felizmente. Agora, todas elas terão de realizar os testes de covid-19. 

Tudo isso poderia ter sido evitado se o resultado do exame me tivesse sido fornecido no mesmo dia, e se os atendentes pouca prática e inabilitados tivessem acesso a informações para localizar o resultado. Tudo teria sido evitado se o exame tivesse sido disponibilizado dia 5 no sistema, eu ficaria num resguardo mais intenso, sempre de máscara em casa, para não contaminar os demais. Tudo isso porque a Prevent continua a ser leviana com a pandemia, conforme já apontado acima, e de acordo com o escandaloso depoimento de advogados e ex-médicos da empresa, assim como de clientes. Pra tudo acabar em pizza logo ao início do ano.

Estamos rezando em casa para que não haja evolução de nenhum dos quadros, meu, da minha mulher e de minha filha, coisa que a gente não sabe, pois a ação do vírus é individualizada, para uns é perversa, judia e mata, para outros, como eu (até agora), assim como foi com bolsonaro, é leve e nem perturba com sintomas ruins, mas considere-se que eu tomei 3 doses da vacina, e ele nenhuma, porque é um irresponsável. Espero esquecer esse assunto o mais rápido possível. Qualquer desdobramento pode me tirar completamente do sério e não sei do que eu seria capaz.

Os diretores e médicos responsáveis da Prevent deveriam ser processados, e também o el rei presidente.






O Brasil deve temer a doença, nunca o remédio!

Richard Jakubaszko
Divulgo na íntegra o comunicado da Sociedade Brasileira de Pediatria, que coloca à frente de todos os médicos pediatras, responsáveis pela saúde de nossas crianças, independentemente da opinião distorcida de qualquer presidente da República, até porque o histórico desse presidente, como sabemos, é que foi militar, conseguiu chegar ao posto de tenente, 1º degrau do oficialato, mas foi aposentado compulsoriamente, como capitão, para não ser expulso do Exército, por fazer um bando de atos ilegais e desastrosos. Depois, teve atuação parlamentar por 27 anos, mas nunca aprovou um único projeto de autoria, enquanto que hoje em dia
está exercendo a presidência da República, é empregado do povo, mas se considera um rei. Entretanto, mesmo sem ter cursado faculdade de medicina, é useiro e vezeiro em dar pitacos distorcidos e falaciosos sobre remédios, vacinas e tratamentos, daí a importância de a gente conhecer e saber a opinião coletiva dos pediatras do Brasil.

Vejam o que diz a SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA:


O Brasil deve temer a doença, nunca o remédio!

Diante de comentários de autoridades sobre possíveis riscos decorrentes da imunização de crianças de cinco a 11 anos contra a covid-19, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) vem a público reiterar aos pais e responsáveis os seguintes pontos:


A população não deve temer a vacina, mas, sim, a doença que ela busca prevenir, bem como suas complicações, como a covid longa e a Síndrome Inflamatória Multissistêmica, manifestações que consolidam a necessidade da imunização do público infantil.

O acesso das crianças à vacina contra a covid-19 é um direito que deve ser assegurado, o qual conta com o apoio da maioria dos brasileiros, conforme expresso em consulta pública realizada sobre o tema pelo Ministério da Saúde.

A vacinação desse público é estratégia importante para reduzir o número de mortes por conta da covid-19 nessa faixa etária, no Brasil, cujos indicadores são mais expressivos do que em outras nações.

Até o momento, os estudos realizados apontam a eficácia e a segurança da vacina aplicada na população pediátrica, a qual é fundamental no esforço para reduzir as formas graves da covid-19.

A vacina previne a morte, a dor, sofrimento, emergências e internação em todas as faixas etárias. Negar este benefício às crianças sem evidências científicas sólidas, bem como desestimular a adesão dos pais e dos responsáveis à imunização dos seus filhos, é um ato lamentável e irresponsável, que, infelizmente, pode custar vidas.


Rio de Janeiro, 6 de janeiro de 2022.


SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA

 

.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

Não tente falar com a Sabesp, você vai ficar exausto e humilhado

Richard Jakubaszko
Desde antes das 12h00 de hoje tento falar com a Sabesp, o que está se comprovando que será um fato glorioso, tal como conquistar uma Medalha de Ouro em uma Olimpíada, caso venha a conseguir. São mais de 14h00 e até agora nada...

Como recebi a conta de água hoje estou tentando falar com um dos inúmeros telefones citados no verso da conta. O primeiro número é o 195, mas quando digito o número em meu celular entra uma gravação da provedora de serviço telefônicos que me informa que "o número chamado está fora de área ou desligado"...

Tentei na sequência falar com 0800 0550195 mas também está fora de área ou desligado...

Tentei ainda falar com outro 0800 destinado a atendentes com deficiência auditiva, mas gravação informava que está fora de serviços temporariamente.

Chamei o 0800 0550565 da Ouvidoria da Sabesp e fiquei quase duas horas ouvindo uma gravação da Sabesp fazendo propaganda falaciosa dos maravilhosos serviços da Sabesp para os seus usuários imbecilizados. "No momento todos os atendentes da Ouvidoria estão ocupados, aguarde mais um instante, por favor..." Até que Dna Luzinete, da Ouvidoria me atendeu. Pediu meus dados como cliente, endereço, e ouviu a reclamação.

Tive que elogiar, como reclamação principal, que o registro do marcador de fornecimento (higrômetro) de água é fantástico, pois a ventoinha funciona até quando não há entrada de água da rua para dentro de casa. Diante desta inusitada eficiência do medidor minha conta de água deste mês dará um bônus extra de faturamento para a Sabesp, pois a conta foi de R$ 231,67 quando, na média, tem sido de R$ 50,00 a 54,00 por mês, por meros 11 a 12 m3 de água. 

Tudo informado, a Dna Luzinete pediu meu e-mail e ia me dizer algumas palavras de sincericídio, mas a ligação caiu...

Minha pressão já estava em 16 x 10 quando a ligação caiu, e resolvi me enfiar debaixo da mesa e ficar quieto.

Não recomendo a experiência para ninguém. Só estou pensando em ir na Delegacia mais próxima daqui de casa e registrar queixa contra a Sabesp, de tentativa de fraude e ao mesmo tempo de assédio psicológico como estratégia para me enlouquecer.

Espanto meu, 10 minutos depois da ligação cair, Dona Luzinete me ligou em meu celular e finalizou o atendimento com as explicações necessárias. Atendimento humano nota 10, mas atendimento tecnológico do sistema nota zero. A medalha olímpica, só por falar com a Sabesp, não vai chegar, mas espero que reconheçam os erros do sistema.

 

.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

Carta aberta ao mundo, da mãe de Julian Assange

Richard Jakubaszko  
Subscrevo de forma incondicional o apelo da mãe de Julian Assange, que abaixo reproduzo, ao mesmo tempo envergonhado, como jornalista e blogueiro, por assistir a vergonhosa perseguição feita pelo governo dos EUA a um jornalista e blogueiro australiano por ele ter publicado documentos verdadeiros, mas considerados secretos, contendo terríveis verdades sobre, afinal, quem são os maiores terroristas do planeta.


Carta aberta ao mundo, da mãe de Julian Assange
"A dor de ver o meu filho, que arriscou a vida para denunciar a injustiça, inculpado e privado do direito a um julgamento justo, reiteradamente".
Christine Ann Assange [*]

Há cinquenta anos, quando dei a luz pela primeira vez como jovem mãe, pensei que não podia haver dor maior, mas logo a esqueci quando segurei meu belo bebé nos braços. Chamei-o Julian.

Agora percebo que estava equivocada. Há uma dor maior. A dor incessante de ser a mãe de um jornalista premiado e respeitável, que teve a coragem de publicar a verdade sobre crimes governamentais de alto nível e sobre a corrupção.

A dor de ver o meu filho, que tentou publicar verdades importantes, manchado a nível mundial.

A dor de ver o meu filho, que arriscou a sua vida por denunciar a injustiça, inculpado e privado do direito a julgamento justo, reiteradamente.

A dor de ver um filho saudável deteriorar-se lentamente, porque foi-lhe negada a atenção médica e sanitária adequada em anos e anos de prisão.

A angústia de ver o meu filho submetido a cruéis torturas psicológicas, numa tentativa de romper o seu imenso espírito.

O constante pesadelo de que seja extraditado para os EUA e a seguir passe o resto dos seus dias enterrado vivo em isolamento total.

O medo constante de que a CIA possa cumprir seus planos para assassiná-lo.

A onda de tristeza quando na última audiência vi seu corpo frágil cair exausto por um mini derrame cerebral, devido ao stress crônico.

Muitas pessoas ficaram traumatizadas ao ver uma superpotência vingativa que usa seus recursos ilimitados para intimidar e destruir um indivíduo indefeso.

Quero agradecer a todos os cidadãos decentes e solidários que protestam globalmente contra a brutal perseguição política sofrida por Julian.

Por favor, continuem a levantar a voz aos seus políticos até que seja a única que ouvirão.

Sua vida está nas suas mãos.

#YoSoyAssange
#JusticiaPorJulian

30/Dezembro/2021
[*] Mãe de Julian Assange.


O original encontra-se em https://www.lahaine.org/mundo.php/carta-abierta-de-la-madre

 

 

domingo, 2 de janeiro de 2022

Tudo certo para 2022?

Richard Jakubaszko  
A gente se esforça para agradar aos deuses, fazemos mandinga, promessas, pedidos, mas nada disso funciona se a gente não fizer a coisa certa. Veja só:
   


 

 

 

.

 

sexta-feira, 31 de dezembro de 2021

Meus desideratos para 2022

Richard Jakubaszko      

Como faço quase tradicionalmente desde o início da existência deste blog, há 14 anos, aqui estão alguns de meus desideratos para 2022. Pelo menos uns 10 deles são antigos. Se mais da metade desses desejos se realizar estarei muito feliz e satisfeito.

Ano passado alguns dos meus desideratos se concretizaram, como (1) a da vacina para a Covid-19. Acertei ainda (2) que a final da Copa Libertadores 2021 fosse entre dois times brasileiros, e Flamengo x Palmeiras repetiram 2020, entre Santos e Palmeiras. Pedi aos anjos e arcanjos também (3) que o STF julgasse rápido, e com justiça, o pedido de suspeição do ex-juiz Sérgio Moro. Fiquei nisso, por isso mantive alguns desideratos e adicionei novos.

1 - que Jair Bolsonaro renuncie, ou seja afastado da presidência por impeachment.

2 - que o meu Internacional seja campeão de alguma coisa em 2021. O time "campeão de tudo" está devendo muitas alegrias para sua imensa torcida.

3 - que a taxa de desemprego no Brasil caia para menos de 4,0%.

4 - que chova no sistema Cantareira (abastecimento de água para a região central de São Paulo, capital), 40 dias sem parar...

5 - que o Carnaval de 2022 seja cancelado, mas que o feriadão seja mantido.

6 – que as águas do rio São Francisco verdejem o Nordeste.

7 - que haja uma reforma política pra valer no Brasil, com redução dos partidos políticos, extinção do Senado, e que sejam eleitos deputados com representatividade proporcional.

8 – que se descubra a cura dos cânceres, Alzheimer e Parkinson.

9 - que o Tribunal Penal Internacional, a Corte de Haia, avalie com justiça as denúncias contra Bolsonaro, sobre se o presidente deve responder a processo por incitação ao genocídio e sistemáticos ataques aos povos indígenas.

10 - que o imposto sobre grandes fortunas e sobre grandes heranças seja implantado no Brasil, assim como o imposto sobre dividendos seja reiniciado.

11 - que a farsa das mudanças climáticas e do falso aquecimento planetário seja finalmente desmontada.

12 - que eu consiga concretizar a publicação da 3ª edição atualizada do meu livro "CO2 aquecimento e mudanças climáticas: estão nos enganando?"

13 - Que as eleições de 2022 sejam vencidas por gente que consiga fazer justiça ao Brasil, e traga felicidade aos brasileiros.

14 - Que sejamos campeões do mundo em 2022.

15 - Que a pandemia do coronavírus se acabe bem rápido...

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Este blogueiro deseja a todos os amigos do blog um ano de muita paz, saúde e serenidade.

E quem desejar pode me enviar seus desideratos, na caixa de comentários aí embaixo. Fui, para 2022....

 

terça-feira, 28 de dezembro de 2021

Não olhe para cima é fake news

Richard Jakubaszko   

O filme "Não olhe para cima" (baseado em possíveis fatos reais), além de ser fake news, porque não é uma ficção científica, só pode ser uma enorme de uma gozação do diretor e do roteirista, dos produtores e atores com os filmes catástrofes. Polemizar, como a mídia tem feito, de que o filme envolve uma mensagem profunda e mostra uma crítica à sociedade, bem como desobediência às ciências, comparando a questão do meteoro do filme que irá destruir o planeta em relação com as mudanças climáticas, porque existem negacionistas, é excesso de preciosismo.

O filme não faz nada disso, em nenhum momento, e nem tem essa pretensão, exceto a de ser pretensioso em si mesmo, porque é uma produção caça-níquel, sem qualquer qualidade como filme (entretenimento) ou como mais uma produção cinematográfica das belas artes, porque é um dos filmes mais medíocres de todos os tempos, seja como ficção ou como comédia de costumes. Minha mulher, minhas duas filhas e a neta, nem conseguiram assistir o filme além dos seus 15 primeiros minutos. Curioso, e teimoso, acabei por assistir até o fim, mas apenas confirmei o gosto feminino das mulheres lá de casa, pois o filme é uma enorme porcaria do cinema americano. Os 15 minutos suportados por elas mostra que a bunda é o melhor crítico de um filme ou peça de teatro. Quando a bunda dói, ninguém suporta ir até o fim, só os imbecis.

Sem exagerar, como crítica, posso "aliviar" o propósito dos diretores e roteiristas, encarando a comédia de costumes como crítica social ao comportamento de políticos, das TVs, das redes sociais e até mesmo de cientistas medíocres. O que mais se destaca no filme são programas de entrevistas nas TVs com os cientistas anunciando a vinda do meteoro, e os âncoras e comentaristas interessados em mostrar humor através de comentários idiotizados, pois assim é a TV americana, que não tem qualidade alguma, nem profundidade, exceto em alguns programas noticiosos ou séries de filmes produzidas para TV. Enfim, pode-se considerar uma crítica social do filme sobre a superficialidade da mídia quando aborda assuntos sérios e importantes. O filme, talvez por isso mesmo, em nenhum momento mostra programas jornalísticos abordando a tragédia anunciada pelos cientistas. Os raros momentos e abordagens mais sérios e responsáveis de todo o filme são aqueles onde os cientistas (Jennifer Lawrence e Leonardo DiCáprio, este sofrível na interpretação do cientista-astrônomo) estão em conversa entre si. 

Desde a descoberta da futura hecatombe por uma cientista, até o final do filme, passam-se 6 meses de tempo real, e nesse meio tempo são mostradas duas entrevistas na TV, dois encontros com a presidente dos EUA (interpretada sem nenhum talento por uma ausente Meryl Streep, que fez 4 ou 5 pontas no filme) no salão oval da Casa Branca, em momentos totalmente imbecilizados, todos com piadinhas medíocres, seja da presidente ou de seu principal assessor e chefe de gabinete, e depois de um mega-empresário americano, que lembra Bill Gates, porque fabricante de celulares, mostrado como o segundo homem mais rico do mundo em todos os tempos, além de principal financiador da campanha da presidente. O mega empresário muda os anunciados planos militares e científicos na Nasa e do Pentágono, para desviar o meteoro de sua rota de colisão com o planeta, para um plano maluco e irreal dele e do deptº de engenharia de sua empresa, de tomar posse do meteoro, ou seja, sequestrar o dito cujo, depois de fragmentá-lo, e explorar suas riquezas minerais calculadas em trilhões de dólares.

O non sense das soluções científicas no filme predomina, e fica claro que não é um filme de ficção científica, pois nada do que as ciências projetaram fazer é seguido. Seguem em frente as propostas políticas do empresário financista da presidente política, lembrando trapalhadas de Bolsonaro e Luciano Hang. Fica então o filme reduzido a revelar-se uma comédia medíocre, uma autêntica chanchada americana em todos os sentidos, abaixo de qualquer crítica, e deixa os espectadores bem intencionados na esperança de que apareçam críticas sociais importantes sobre a imbecilização da população americana, ou do comportamento leviano, vazio, taxa zero de cultura ou intelectualidade mostrada pela mídia. Nesses aspectos o não olhe para cima merece com galhardia de sobra o prêmio framboesa de pior filme da década que se inicia.

Mas o filme foi produzido e está aí em exibição na Netflix, pintado pelos seus imbecis e obedientes publicitários como uma ficção científica criativa, e também como uma comédia de costumes muito legal, e que apresenta propostas para um debate interessante sobre desobediência civil em relação aos enunciados pelos cientistas. Não é verdade, nada disso está no filme, que é sofrível, medíocre, e mostra o quanto a teoria de Darwin está incorreta sobre a evolução das espécies. Darwin esqueceu-se de dizer que há também involução nessa trajetória, pois é isso o que acontece com a inteligência da humanidade atualmente. O filme "Não olhe para cima", dessa forma, é objetivo e importante, porque nos mostra a realidade nua e crua de que a mediocridade e a imbecilidade* tomaram conta de tudo a partir dos tempos atuais de predomínio de Trump e Bolsonaro, e isso não é fake news.

Nota do blogueiro:
O termo imbecilidade utilizado neste post refere-se, no seu sentido lato, como termo médico, que imbecil é o sujeito adulto de mais de 30 anos de idade, que pensa como um garoto de 10 anos.

.


segunda-feira, 27 de dezembro de 2021

O Brasil grita por socorro

Richard Jakubaszko

Vivemos tempos sombrios, onde as piores pessoas perderam o medo e as melhores perderam a esperança.”   Hannah Arendt
  

Brasileiras e brasileiros comprometidos com a vida estão reféns do genocida Jair Bolsonaro, que ocupa a presidência do Brasil junto a uma gangue de fanáticos movidos pela irracionalidade fascista.

Esse homem sem humanidade nega a ciência, a vida, a proteção ao meio ambiente e a compaixão. O ódio ao outro é sua razão no exercício do poder.

O Brasil hoje sofre com o intencional colapso do sistema de saúde. O descaso com a vacinação e com as medidas básicas de prevenção, o estímulo à aglomeração e à quebra do confinamento, aliados à total ausência de uma política sanitária, criam o ambiente ideal para novas mutações do vírus e colocam em risco os países vizinhos e toda a humanidade. Assistimos horrorizados ao extermínio sistemático de nossa população, sobretudo dos pobres, quilombolas e indígenas.

O monstruoso governo genocida de Bolsonaro deixou de ser apenas uma ameaça para o Brasil para se tornar uma ameaça global.

Apelamos às instâncias nacionais – STF, OAB, Congresso Nacional, CNBB – e às Nações Unidas. Pedimos urgência ao Tribunal Penal Internacional (TPI) na condenação da política genocida desse governo que ameaça a civilização.

Vida acima de tudo.


O manifesto acima está colhendo adesões, entre outros já subscreveram essa carta aberta os brasileiros Chico Buarque de Hollanda, Leonardo Boff, Zélia Duncan, dom Mário Morelli, padre Júlio Lancellotti, Carol Proner, entre outros, como este blogueiro, na qual denunciam que o Brasil se tornou uma “câmara de gás a céu aberto”. Para subscrever a carta vá ao link https://vidaacimadetudo.wixsite.com/home

.

sábado, 25 de dezembro de 2021

Quando é o Natal? É hoje! É sempre hoje!

Richard Jakubaszko 

Quando é o Natal? É hoje! É sempre hoje!

Nunca esqueçam do aniversariante!
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑑𝑢𝑎𝑠 𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎𝑠 𝑠𝑒 𝑒𝑛𝑡𝑒𝑛𝑑𝑒𝑚 𝑒 𝑠𝑒 𝑝𝑒𝑟𝑑𝑜𝑎𝑚, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑣𝑜𝑐𝑒̂ 𝑚𝑜𝑠𝑡𝑟𝑎 𝑝𝑎𝑐𝑖𝑒̂𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑐𝑜𝑚 𝑞𝑢𝑒𝑚 𝑐𝑜𝑛𝑣𝑖𝑣𝑒, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑣𝑜𝑐
ê 𝑎𝑗𝑢𝑑𝑎 𝑢𝑚𝑎 𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑎𝑙𝑔𝑢𝑒́𝑚 𝑑𝑒𝑐𝑖𝑑𝑒 𝑠𝑒𝑟 
h𝑜𝑛𝑒𝑠𝑡𝑜 𝑒𝑚 𝑡𝑢𝑑𝑜 𝑜 𝑞𝑢𝑒 𝑓𝑎𝑧, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.

𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑛𝑎𝑠𝑐𝑒 𝑢𝑚𝑎 𝑐𝑟𝑖𝑎𝑛𝑐̧𝑎, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑠𝑒 𝑟𝑒𝑠𝑝𝑒𝑖𝑡𝑎 𝑒 𝑠𝑒 𝑎𝑢𝑥𝑖𝑙𝑖𝑎 𝑢𝑚 𝑖𝑑𝑜𝑠𝑜, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 
duas 𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎𝑠 𝑠𝑒 𝑎𝑚𝑎𝑚 𝑐𝑜𝑚 𝑢𝑚 𝑎𝑚𝑜𝑟 𝑙𝑖𝑚𝑝𝑜, 𝑝𝑟𝑜𝑓𝑢𝑛𝑑𝑜 𝑒 𝑠𝑖𝑛𝑐𝑒𝑟𝑜, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.

𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑣𝑜𝑐𝑒̂ 
olhar 𝑎𝑙𝑔𝑢𝑒́𝑚 𝑐𝑜𝑚 𝑜𝑠 𝑜𝑙h𝑜𝑠 𝑑𝑜 𝑐𝑜𝑟𝑎𝑐̧𝑎̃𝑜, 𝑠𝑒𝑚 𝑗𝑢𝑙𝑔𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜𝑠 𝑜𝑢 𝑐𝑟𝑖́𝑡𝑖𝑐𝑎𝑠, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑎𝑙𝑔𝑢𝑒́𝑚 𝑠𝑜𝑐𝑜𝑟𝑟𝑒 𝑒 𝑑𝑒𝑣𝑜𝑙𝑣𝑒 𝑑𝑖𝑔𝑛𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑎 𝑢𝑚 𝑎𝑛i𝑚𝑎𝑙𝑧𝑖𝑛
h𝑜, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑣𝑐 𝑑𝑖𝑣𝑖𝑑𝑒 𝑜 𝑝𝑎̃𝑜 𝑑𝑎 𝑠𝑢𝑎 𝑚𝑒𝑠𝑎, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.

𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑠𝑒 𝑑𝑒𝑚𝑜𝑛𝑠𝑡𝑟𝑎 𝑎𝑚𝑜𝑟 𝑎𝑜 𝑝𝑟𝑜́𝑥𝑖𝑚𝑜, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.
𝐶𝑎𝑑𝑎 𝑣𝑒𝑧 𝑞𝑢𝑒 𝑣𝑜𝑐𝑒̂ 𝑓𝑎𝑧 𝑢𝑚𝑎 𝑟𝑒𝑓𝑜𝑟𝑚𝑎 𝑖́𝑛𝑡𝑖𝑚𝑎 𝑒 𝑝𝑟𝑜𝑐𝑢𝑟𝑎 𝑑𝑎𝑟 𝑐𝑜𝑛𝑡𝑒𝑢́𝑑𝑜 𝑛𝑜𝑣𝑜 𝑎 𝑠𝑢𝑎 𝑣𝑖𝑑𝑎, 𝑒́ 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.

𝑃𝑂𝑅𝑄𝑈𝐸 𝑁𝐴𝑇𝐴𝐿 𝑒́ 𝐴𝑚𝑜𝑟 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎
* 𝑃𝑎𝑧 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎.
* 𝐺𝑒𝑛𝑒𝑟𝑜𝑠𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎.
* 𝐽𝑢𝑠𝑡𝑖𝑐̧𝑎, 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎.
* 𝐶𝑜𝑚𝑝𝑟𝑒𝑒𝑛𝑠𝑎̃𝑜 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎.
* 𝑅𝑒𝑠𝑝𝑒𝑖𝑡𝑜 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎.
* 𝐴𝑢𝑡𝑜𝑎𝑚𝑜𝑟 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎.
* 𝐴𝑐̧𝑎̃𝑜 𝑝𝑜𝑠𝑖𝑡𝑖𝑣𝑎 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎.
* 𝐴𝑚𝑜𝑟 𝑎̀ 𝑣𝑖𝑑𝑎, 𝑡𝑜𝑑𝑜 𝑑𝑖𝑎.

𝐸 𝑒́ 𝑎 𝑝𝑎𝑟𝑡𝑖𝑟 𝑑𝑒𝑠𝑠𝑎𝑠 𝑎𝑡𝑖𝑡𝑢𝑑𝑒𝑠 𝑞𝑢𝑒:
𝑁𝑎𝑠𝑐𝑒 𝑎 𝐸𝑠𝑝𝑒𝑟𝑎𝑛𝑐̧𝑎
𝑁𝑎𝑠𝑐𝑒 𝑎 𝐴𝑙𝑒𝑔𝑟𝑖𝑎
𝑁𝑎𝑠𝑐𝑒 𝑎 𝑃𝑎𝑧.

𝑁𝑢𝑛𝑐𝑎 𝑠𝑒𝑟𝑎́ 𝑢𝑚 𝑣𝑒𝑟𝑑𝑎𝑑𝑒𝑖𝑟𝑜 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙 𝑒𝑛𝑞𝑢𝑎𝑛𝑡𝑜 𝑐𝑜𝑚𝑒𝑚𝑜𝑟𝑎𝑟𝑚𝑜𝑠 𝑎𝑝𝑒𝑛
a𝑠 uma 𝑛𝑜𝑖𝑡𝑒 𝑐𝑜𝑚 𝑎𝑚𝑜𝑟 𝑒 𝑛𝑜𝑠 𝑒𝑠𝑞𝑢𝑒𝑐𝑒𝑟𝑚𝑜𝑠 𝑒 𝑛𝑜𝑠 𝑑𝑒𝑠𝑟𝑒𝑠𝑝𝑒i𝑡𝑎𝑟𝑚𝑜𝑠 𝑜 𝑟𝑒𝑠𝑡𝑜 𝑑𝑜 𝑎𝑛𝑜!

𝑆𝑒𝑔𝑢𝑟𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑒 𝑛𝑎̃𝑜 𝑒́ 𝑖𝑠𝑡𝑜 𝑞𝑢𝑒 𝐽𝑒𝑠𝑢𝑠 𝑞𝑢𝑒𝑟 𝑑𝑒 𝑛𝑜́𝑠! 𝑁𝑢𝑛𝑐𝑎 𝑠𝑒𝑟𝑎́ 𝑢𝑚 𝑣𝑒𝑟𝑑𝑎𝑑𝑒𝑖𝑟𝑜 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙 𝑒𝑛𝑞𝑢𝑎𝑛𝑡𝑜 𝑐𝑜𝑚𝑒𝑚𝑜𝑟𝑎𝑟𝑚𝑜𝑠 𝑎𝑝𝑒𝑛
a𝑠 uma 𝑛𝑜𝑖𝑡𝑒 𝑐𝑜𝑚 𝑎𝑚𝑜𝑟 𝑒 𝑛𝑜𝑠 𝑒𝑠𝑞𝑢𝑒𝑐𝑒𝑟𝑚𝑜𝑠 𝑒 𝑛𝑜𝑠 𝑑𝑒𝑠𝑟𝑒𝑠𝑝𝑒i𝑡𝑎𝑟𝑚𝑜𝑠 𝑜 𝑟𝑒𝑠𝑡𝑜 𝑑𝑜 𝑎𝑛𝑜!

𝐸𝑛𝑡𝑎̃𝑜 𝑓𝑎𝑐̧𝑎𝑚𝑜𝑠 𝑢𝑚
a 𝑟𝑒𝑓𝑙𝑒𝑥𝑎̃𝑜 𝑒 𝑐𝑢𝑖𝑑𝑒 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑞𝑢𝑒 𝑛𝑜𝑠𝑠𝑎 𝑣𝑖𝑑𝑎 𝑠𝑒𝑗𝑎 𝑢𝑚 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 𝑁𝑎𝑡𝑎𝑙.


.