sexta-feira, 8 de junho de 2018

O Inferno, explicado por um estudante de física

Richard Jakubaszko
Recebi por e-mail de Luís Amorim, lá da terrinha do além-mar, onde Camões e Fernando Pessoa em tempos idos sapecavam inteligências e ironias, um saboroso texto que nos remete a questões científicas de análise e reflexão sobre os entreveros das ciências com a religião e o controvertido universo humano, especialmente o feminino; senão vejamos:

O Inferno, explicado por um estudante de física
O que se segue é (alegadamente) uma pergunta que saiu num exame de um curso de Física numa universidade americana. A resposta de certo estudante foi tão criativa que o professor a partilhou por e-mail com vários colegas.

- Pergunta: O Inferno é exotérmico (liberta calor) ou endotérmico (absorve calor)?
A maioria dos alunos respondeu baseando as suas opiniões na lei de Boyle (o gás arrefece quando se expande e aquece quando é comprimido), ou nalguma variante disso. Houve um aluno que, no entanto, deu a resposta que se segue.

Primeiro, precisamos de saber como a massa do Inferno está a variar com o tempo. Portanto, precisamos de saber a taxa a que as almas se estão a mover para o Inferno e a taxa a que o estão a deixar. Acho que podemos assumir seguramente que uma vez que uma alma entra no Inferno ela nunca mais de lá sai. Portanto, não há almas a sair. Para verificarmos qual a quantidade de almas que entram no Inferno, vamos olhar para as diferentes religiões que existem no mundo atual. A maioria dessas religiões afirma que quem não é membro dessa religião vai para o Inferno. Como há mais do que uma dessas religiões, e como as pessoas não pertencem a mais do que uma religião, podemos prever que todas as almas vão para o Inferno. Com as taxas de natalidade e mortalidade atuais, podemos esperar que o número de almas no Inferno aumente exponencialmente.

Agora, vamos olhar para a taxa de variação de volume do Inferno, porque a lei de Boyle afirma que, para que a temperatura e a pressão no Inferno se mantenham constantes, o volume do Inferno tem de se expandir proporcionalmente à medida que são adicionadas mais almas. Isto abre duas possibilidades:

1. Se o Inferno se expandir a uma taxa inferior à da taxa a que as almas entram, então a temperatura e a pressão no Inferno vão aumentar até ele explodir.

2. Se o Inferno se expandir a uma taxa superior à do aumento de almas no Inferno, então a temperatura e a pressão baixarão até que o Inferno congele.

Então, qual das hipóteses é a correta? Se aceitarmos a afirmação da Mary no meu ano de calouro de que “o Inferno vai congelar antes de eu ir para a cama contigo”, e tendo em conta o fato de que eu dormi com ela a noite passada, então a hipótese número 2 deve ser a verdadeira, e, portanto, tenho a certeza de que o Inferno é exotérmico e já congelou.

O corolário desta teoria é que, uma vez que o Inferno congelou, então já não aceita mais nenhuma alma e está, consequentemente, extinto, passando a existir apenas o Céu e provando assim a existência de um ser divino, o que explica porque é que ontem à noite a Mary gritava “Oh, meu Deus! Oh, meu Deus!”.


Este estudante teve a única nota máxima! 

.

4 comentários:

  1. José Carlos Filgueira de Castro11 de junho de 2018 12:11

    Parece a mentira do aquecimento planetário, apoiada pelas mudanças climáticas... Pelo menos o físico foi criativo.
    Zé Carlos

    ResponderExcluir
  2. Me pareceu uma lógica lusitana, sem nenhuma ofensa aos amigos de Trás os Montes, porém muito engraçada...
    Ezequiel

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", no "Selecionar perfil' e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.