segunda-feira, 27 de maio de 2013

Jornalistas são anormais?

Richard Jakubaszko
Circula afoito pela internet o texto abaixo, no formato e-mail padrão, como se fosse uma mula sem cabeça enlouquecida depois de cheirar umas pedrinhas, e em tom de troça com os coleguinhas jornalistas.

Vejam lá se não faz faz sentido:

Por que um ser humano aparentemente normal decide ser jornalista?
* Porque nunca foi bom nessas coisas de álgebra, geometria plana, progressões aritméticas.
 

* Porque ele acredita em cartomante, no Guia do Estudante, em teste vocacional.
 

* Porque Deus estava de folga quando ele decidiu prestar o vestibular.  

* Porque o anjo da guarda dele estava de ressaca no dia da prova.  

* Porque a tia Cidinha, professora de Redação, disse que ele levava jeito pra escrever.  

* Porque ele deve ter feito alguma merda grande na vida passada e agora voltou jornalista para pagar a dívida.
 

* Porque cresceu ouvindo notícias nas rádios e sempre soube que era aquilo que queria pra vida.

* Porque todo mundo tem um defeito.

* Porque vocação para a pobreza é uma coisa genética em muitas famílias.

* Porque ser aparentemente normal é muito chato. O bom é parecer meio maluco.


Desconheço a autoria, daria créditos se descobrisse o nome do talentoso criador. Se alguém souber, por favor, informe.
.

6 comentários:

  1. Parece ser esse sujeito aqui: http://desilusoesperdidas.blogspot.com.br/2013/05/por-que-um-ser-humano-aparentemente.html

    ResponderExcluir
  2. Então Richard, você entre outras coisas, escreve em resposta a comentários meus no blog do Esquerdopata.....

    "Lamento informar, mas seus julgamentos são de ordem e fundo moral, inapropriados para um professor de qualquer área, especialmente um geógrafo.
    Assim, debata as questões de forma direta e objetiva, sem tentar desqualificar seu oponente pelas bordas. É feio isso, demonstra um grau de infantilidade e desvio de caráter.".....

    Por que o rótulo "urbanos como você"......??
    Por que você supõe que tenho "desvio de caráter"...??
    Ora, você afirma "não ter" posição ideológica no agro.......discordo, pois o que NÃO Há é quem não a possua, se você afirma não tê-la, os pares do agronegócio a quem tanto defende a têm, e é bem clara....
    Quero também enfatizar que uso deste espaço embora não conheça o texto sobre jornalistas aqui citado. Nada tenho contra profissional algum, nem mesmo as moças que optam pela "profissão mas antiga do mundo".
    Sou socialista e TAMBÉM humanista, tanto que desejo uma alimentação SAUDÁVEL a mim e a meus filhos.
    Não mais perturbarei seu espaço, até porque de nada adianta uma proposta de debate científico. Já li suas réplicas a quem tentou fazê-lo em muitos outros artigos aqui compartilhados e em todos os casos, você desarmou-os com suas posições a respeito e reconheço que além de experiência e estudos, você é um homem de bons fundamentos teóricos.
    Mas, sem querer alongar-me, julgamento moral você também fez a meu respeito com suas suposições e rótulos como o dos "urbanos" e usa também a outros como "biodesagradáveis"......
    Não há inocentes no mundo dos negócios............nem no Agro.....
    E por isso mesmo mantenho meu ceticismo ante pessoas que defendem com tanta garra a um determinado setor da economia ou campo de atuação profissional. Observo bem a isto pela rede mundial de computadores.......não mexa com médicos, fazendeiros, advogados, etc........se o fizer, vai arrumar encrenca na certa. Mesmo que entre eles não existam só "inocentes criaturas bem intencionadas".
    Infelizmente em minha profissão o grau de qualificação geral é baixo e a defesa de classe pior ainda. Sou obrigado a reconhecer......
    Siga em frente, quem sabe um dia todos nós estaremos convencidos de que só há um lado injustiçado pelos "urbanos" que "cospem no prato em que comem".........
    Saudações urbanas.

    ResponderExcluir
  3. Geopolêmica,
    foi vc quem se autodefiniu como uma pessoa essencialmente urbana, aqui no meu blog, esqueceu? Foi no post "A cidade gosta do agronegócio", publicado este mês de maio: Está lá: "Sou um homem urbano por excelência, mas há três décadas utilizo-me de material didático que afirma e REAFIRMA que há elogios e também críticas à empresa rural". Agora, se eu falar que vc é urbano, vc se ofende? Ora, ora...
    E vc é que foi "comentar" meu comentário, não eu que comentei o seu, no Esquerdopata... he, he, he...

    ResponderExcluir
  4. Tai gostei da "urabanidade" dos dois! heheheheheh

    ResponderExcluir
  5. Não me ofendo por você me "chamar" de urbano. Apenas passa a ideia de que os "urbanos" são "contra" o agronegócio sem conhecê-lo, é um rótulo, quer você queira ou não. Quanto à ordem com que o Esquerdopata "aprovou" os comentários feitos por nós dois, há controvérsias, mas deixa pra lá.......a questão que quis abordar não teve repercussão de sua parte nessa oportunidade, é supor "desvios de caráter" em meu modo de tecer críticas.....
    Nessa, você "pegou pesado"..........é só!

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.