terça-feira, 10 de março de 2009

Vale dos vinhedos: profissionalismo e planejamento sem crise.

Richard Jakubaszko 
Dá orgulho e satisfação de ser brasileiro ao visitar o Vale dos Vinhedos na região da serra gaúcha, que produz 90% dos vinhos do Brasil. 
Estivemos em visita a Fenavinho em fevereiro último, junto a um grupo de jornalistas brasileiros e estrangeiros, convidados pelo Ibravin – Instituto Brasileiro do Vinho, apoiados pela APEX – Agência Brasileira de Promoção de Exportações. 
A cadeia da vitivinicultura, que inclui a parceria da Aprovale - Associação dos Produtores do Vale dos Vinhedos, vai cumprindo seu roteiro e planejamento para conquistar consumidores com vinhos, espumantes e sucos de alta qualidade, que tem recebido o merecido reconhecimento internacional, inclusive da Europa, e que apresenta números expressivos na exportação de produtos com alto valor agregado, além da conquista dos consumidores no mercado interno. 
Desde os anos 80 o Vale dos Vinhedos se prepara e planeja o futuro: no plantio de parreirais selecionados – apoiados pela Embrapa Uva e Vinho – ao lado de vinhedos tradicionais de alta qualidade que já existiam na região, alguns já centenários (a parreira produz por 130 anos, consecutivamente). A mudança se processa no sistema de vinhedos em latada para o de espaldeira, inegavelmente responsável por melhores frutos. 
Varietais como chardonnay, cabernet sauvignon, merlot, pinot noir e outras do Vale dos Vinhedos tiveram reconhecida sua alta qualidade e diferenciação em relação a outras regiões e receberam a IG – Identificação Geográfica de Vale dos Vinhedos, ou, Indicação de Origem.

Os vinhos, espumantes e sucos produzidos na região (veja o mapa), recebem um selo numerado, a garantia de origem, o que gera valor agregado ao produto final. Com isso as vinícolas da região não apenas podem produzir produtos de alta qualidade, mas remunerar melhor a matéria prima utilizada, uvas fornecidas pelos vitivinicultores da região. 

É uma corrente onde não existem elos fracos, pois todos os elos são importantes e vitais para a existência da corrente positiva. Ninguém, por lá, dá um tiro no próprio pé. O que se vê e percebe na região é a circulação de riquezas, gente civilizada, locais sofisticados como lojas, restaurantes, hotéis e empresas. Ausência de miséria, limpeza nas cidades e vilas, até mesmo favelas (pois existem, sim), mas com antenas parabólicas às centenas fincadas nos tetos das casas, morro acima e morro abaixo, pois a topografia da região é assim, e carros estacionados nas portas das casas de madeira, típicas da colonização italiana. Aliás, não são favelas, são bairros de classe média emergente. É a riqueza que circula generosa, sem crises. 

União entre produtores rurais, cooperativas e vinícolas, esse foi o primeiro passo para conquistar os objetivos planejados. A busca da qualidade foi o ponto de partida do grupo, seja na produção de uva seja na industrialização da matéria prima. Para tanto se contrataram especialistas de renome internacional para consultoria, principalmente enólogos, o que gerou uma safra de enólogos nacionais de respeitada qualidade e alto profissionalismo, que acaba de regulamentar a profissão no Brasil. Simples assim, e daqui para frente é apenas administrar o elevado padrão de qualidade já conquistado, com a cumplicidade e parceria de todos zelando pelos níveis já atingidos. 

Com a ajuda de um bom marketing as vinícolas da região fazem a fama, entre elas a Vinícola Aurora, Salton, Casa Valduga, Angheben, Amadeu, Vallontano, e muitas outras, quase uma centena delas, nos vinhos finos, nos espumantes e sucos, com inegável competência. Tão bom que dá orgulho de ser brasileiro. É um exemplo a ser conhecido, estudado e repetido por outras regiões brasileiras de produção agrícola. É uma fórmula que sempre dá certo.

_

3 comentários:

  1. Richard,
    Excelente comentário. Concordo plenamente...estive há muitos anos no vale dos Vinhedos e tenho saudades..até hoje reservamos uma relíquia Dom Laurindo, Lote 43, colehita tardia da Miolo....somos adeptos do vinho nacional de excelente qualidade!
    abraços Joelma

    ResponderExcluir
  2. Encaminhei, como sempre faço em alguns post, emails aos amigos informando que tinha texto novo aqui no blog.
    Recebi do Carlão, presidente do Grupo Publique, a cópia de email que ele mandou pra "meio mundo" e que dizia:
    Carlão: "MUITO BOM ESTE TEXTO DO RICHARD. LEIAM POR FAVOR E REPASSEM. MANDEM PRA NOSSO CATÁLOGO COMPLETO". CARLÃO
    Respondi, agradecendo: "Carlão,obrigado pelo carinho, os amigos sempre são generosos. Alegrou meu dia. Grande abraço!"
    Aí o Carlão, que responde até spam, soltou uma dessas grandes verdades da vida, e que explica porque ele gostou tanto do texto: "ora, ora. Precisamos incentivar as pessoas a olhar o mundo que dá certo. E só dá certo porque elas trabalham..."
    Carlão

    ResponderExcluir
  3. Caro Richard,você precisa postar mais vezes!
    E, da próxima vez, vamos ver se arrumamos um tempo para conversar melhor. Naquela correria de Bento, mal pudemos trocar figurinhas. E você, pelo que senti, é uma figura boa de se conversar. Grande abraço!

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", no "Selecionar perfil' e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.