terça-feira, 1 de março de 2011

Provas da insanidade política: sofrem os paulistanos.

Richard Jakubaszko 
Faz tempo que São Paulo (Capital) sofre com a insanidade, com o descaso, com a incompetência e inconsequência dos políticos e urbanistas.

As fotos abaixo não deixam dúvidas dessa loucura que sempre foi viver em São Paulo, dos perigos que corremos nesta época do ano. Em nossas casas ou nas ruas.

Porque os políticos, os urbanistas, com apoio da própria população, elegeram o asfalto e o cimento como protetores de seus automóveis e caminhos. Na impossibilidade de não ter por onde infiltrar-se, a água escorre por cima do asfalto, desce para as partes mais baixas da cidade, e aí inunda tudo. 

Com o excesso de "urbanidade", com o crescimento populacional, com a falta de educação do povo que joga o lixo no chão, até porque não dispõe de lixeiras suficientes nas ruas, o lixo ajuda a piorar a situação. Mas o lixo representa 10% do problema. Os 90% principais do problemaço de São Paulo, têm como responsáveis o asfalto e o cimento que cobre nossas calçadas. Olhem os troncos das árvores nas calçadas: por onde que entra a água? Como essa água alimenta o lençól freático? Não entra, não alimenta, as águas rolam por cima do asfalto...
Devíamos ser uma cidade com mais gramados, com mais "terra à vista", com mais paralelepípedos, com menos asfalto e com menos cimento.

Sempre foi assim, e vai ficar pior, vejam as fotos abaixo, décadas de 1950 e 1960. Recebi as fotos abaixo mostradas de Paulo Sérgio Pires, da CL-A, de um e-mail que anda rolando pela internet, tal e qual um buscapé enfurecido, sem nenhuma saudade do passado, pois no presente as questões estão iguais, ou piores.

av marginal - rio Tietê 1960







A primeira foto é da marginal do rio Tietê, em 1960;
a segunda foto é do Anhangabaú, de 1957, antes da existência do atual túnel, que continua alagando. O túnel aqui visto passava por debaixo da avenida São João, tinha pouco mais de 100 metros, e era chamado de "buraco do Adhemar", como homenagem a Adhemar de Barros, governador que construiu aquela aberração. 
Na foto seguinte, de novo, o buraco do Adhemar alagado, mas em 1963, e na última foto a avenida 9 de julho, tudo alagado...
Enquanto permanecer o descaso os problemas vão continuar, iguais e piores do que eram. Afinal, são só 50 anos, meio século, né?
_

2 comentários:

  1. José Geraldo Caetano - SBC - SP1 de março de 2011 17:43

    Caro Richard,
    Muito oportuna sua matéria e comparação entre as época, desta "desgraça" que aborrece a todos nós paulistanos no verão: Alagamentos.
    Uma diferença gritante, quando comparamos estas fotos com as reportagens que assistimos hoje na TV é que naquela época não se via lixo flutuando. A terceira foto é um exemplo real disso. Uma imensidão de água, porém nenhum lixo. O problema de alagamentos continua sim, agravado nos dias atuais pela quantidade de lixo que produzimos e pela falta de cidadania.
    Caetano de São Bernardo do Campo.

    ResponderExcluir
  2. Em 1929 fomos ver a enchente do Tietê levados por meu pai.Tinha 15 aanos e me lembro muito bem. Da Ponte Grande até a Freguesia do Ó eram um lago só em fins do mês de Janeiro ou início de Fevereiro. Deve existir fotos. É como V. disse: sempre houve enchentes, só que havia menos gente morando nas baixadas...e menos TV dos helicópteros para aumentar a emoção! Abraço. Fernando Penteado Cardoso

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", no "Selecionar perfil' e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.