quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Anteparos e componentes

Carlos Eduardo Florence *   
Por serem, sem nenhuma dúvida, duas fúlgrias alegóricas, recém-entronizadas em metas zodiacais, que se disfarçavam de midendos-sem-preconceitos nas noites de lua cheia enquanto se punham a bailar sob os inconscientes dos mais afoitos e, em sintonias graciosas, encantavam as crianças tranquilas escalando as alegrias penduradas confortavelmente nos balões mais baixos.

Festa de Santo Encastro trazia estas reverências e meditações, enquanto as duas fanfarras, a da Escola Normal e do Tiro de Guerra, atravessavam impunes, mas ritmadas, a rua estreita de Timborití Espaldado antes de encontrarem, na Praça da Matriz, as autoridades, descambando, desde o prefeito empertigado até a diretora do grupo, e ainda pré-formando o torvelinho dos vereadores engravatados e suas mulheres de vestidos novos, bundas proeminentes e saltos desconfortáveis, além da miudalha popular ovacionando as interjeições mais subjetivas. Nunca faltavam o cônego Escalias, o juiz Carvamélio e um punhado de alcoviteiros dominicais. Inclusive, naquele ano, lembramo-nos muito bem agora, na ora sacra do supositório da elucubração maior, enquanto as estrelas se compunham para iniciar suas jornadas, as putas, os aloprados e os pedintes mais habituais subiram sobre as ilusões remotas na esperança de se engalfinharem sobre as sobras de algumas migalhas de presunções cuspidas, pelos mais bafejados pelo destino, para que pudessem bordar as suas angústias, carências e enxugarem as solidões. A cerimônia se repetia por obra e graça do padroeiro da vila, venerado Santo Encastro.

As fúlgrias abriram um farnel de parábolas sobre as meditações para recolherem os pedaços maiores das crianças sorrindo que despencavam dos balões exaustos intentados de assumirem seus destinos desconhecidos. Dos cantos mais ermos levantou-se uma revoada clara de lamúrias, envoltas em racionalismos ultrajados, seguidas pelas salvas de palmas dos escoteiros e das bandeirantes. Os portais da Matriz se entreolhavam na esperança de serem escancarados para os santos exaustos poderem escapar de suas cruzes, abandonarem as pontas das flechadas sangrando em seus rins e costelas sobre os bancos desconfortáveis e assim lavarem suas lágrimas nas águas do batistério. Por oportuno, as sete velas capitais dos pecados que iluminavam as mentiras canônicas optaram por se protegerem dos riscos sórdidos dos bem-aventurados e se empertigaram altivas em colcheias ao raiar do imponderável.

Os que se iluminaram embevecidos pelo adultério de Melênia e sofreguidão do parto hermafrodita dispostos ao fundo da insuficiência cardíaca, mas em oposição ao inconsciente freudiano, sem desconsiderar a circunstâncias momentâneas, de hermenêutica transitória em evolução ainda, dos voos indefinidos dos beija-flores, encontraram certa proteção por parte das metamorfoses dos pensamentos jacobinos e, assim, foram estimulados a entonarem pequeninos hinos ecumênicos em louvor à intemperança, ao credito parcelado e ao contraditório. Todos foram absolvidos antes do ocaso, que meditava sobre as divagações de uma centopeia petulante, o que lhes possibilitou encontrarem faceiros seus ideais. Um sorvete de melancolia a vinagrete, esclarecido, diga-se de antemão, opinou com segurança que a menopausa das mariposas poderia trazer, com certeza, certos conflitos entre as orações a Ogolum Zalê, pois contradiziam abertamente com as ejaculações precoces dos deuses do absurdo frente às inconstâncias e as restrições dos fiéis das ressurreições em escalas dodecafônicas.

As fúlgrias se despiram dos midendos-sem-preconceitos, com que se disfarçavam no esplendor da praça principal lotada, em júbilo, durante as cerimônias e aguardaram os entrésios, seus amantes preferidos para engravidarem no verão equatorial, serem entronizados em louvor ao nada, como era esperado pela população radiante. Houve um ruído profundo exalado do silêncio cabisbaixo por não conseguir furar a fila e decidir escolher, afobado, entre as parcimônias ou os alfarrábios disponíveis, no circunspecto carrinho de pipoca, antes do fim chegar sob bênçãos bizantinas. Deram-se estas angústias e dúvidas, sem motivos notáveis e, na incerteza e estresse, as sandálias, humildes, mas extravagantes e retardatárias se sentiram desprestigiadas.

Em sendo um domingo eufórico, talvez até não suficientemente convencido pelo seu esgotamento nervoso preferido, o poente despediu-se meticulosamente envolvido em cores de ré maior, todavia obedecendo, delicadamente, o azul ensandecido. Coisas da entropia existencial no dia do Senhor.

* o autor é economista, blogueiro, escrevinhador, e diretor-executivo da AMA – Associação dos Misturadores de Adubos.
Publicado em http://carloseduardoflorence.blogspot.com/2019/08/anteparos-e-componentes-por-seremsem.html


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", no "Selecionar perfil' e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.