quarta-feira, 17 de julho de 2013

Coceira nas costas

Luis Fernando Veríssimo
A CCC, coceira crônica nas costas, longe do alcance das nossas unhas, é um martírio constante. Quem sofre de CCC vive pedindo que alguém lhe coce as costas e, na falta de alguém, recorrendo a qualquer meio para acabar com o tormento. É conhecido o caso trágico daquele agente do governo dos Estados Unidos encarregado de negociar com os índios peles-vermelhas no oeste americano e que depois do acordo concluído, quando o cachimbo da paz com sua haste longa lhe foi passado, não aguentou e usou o cachimbo para coçar as costas. Dos seus restos comidos por lobos só sobrou o escalpo.

* * *

A CCC provoca situações embaraçosas. É comum ver-se pessoas esfregando as costas numa quina de parede ou, em casos extremos, rolando pelo chão para aliviar a coceira. O que, obviamente, prejudica sua vida social.

- Cheguem para trás. É um ataque epilético!

- Não, não. É coceira nas costas

A CCC também causa mal-entendidos. Como no caso daquele casal cujas vozes eram ouvidas em todo o prédio.

- Aí, aí. Um pouco mais para o lado.
 
- Assim?

- Mais rápido.

- Está bom assim?

- Está. Está!

- Mais rápido?

- Não, assim está bom. Só um pouco mais para...
 
- Assim?

- Isso! Ai meu Deus. Sim! Sim!

O casal ficou com fama de ter uma vida sexual movimentadíssima, quando se tratava apenas de CCC.
* * *

Pelo menos você sabe que presentes dar para alguém que tem CCC: qualquer objeto que lhe permita coçar as próprias costas. Uma colher de madeira comprida, um telescópio portátil, um pedaço de antena... Até um cachimbo da paz.
 
* * *

Catálogo (Da série Poesia Numa Hora Dessas?!)

Deus, vaidoso como qualquer artista

Pensa em publicar um catálogo da sua obra

De Gênesis até anteontem.

Só ainda não sabe o que botar na capa:

As Cataratas do Iguaçu, uma noite de luar

Ou a Patrícia Pillar.

* Publicado em O Estado de São Paulo, 07/07/2013: 
http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,coceira-nas-costas-,1051070,0.htm
. 

6 comentários:

  1. eu tenho ccc kkkkkkkkkkkkkkkk
    o que devo fazer ? elbsonmendes@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. Os textos do Veríssimo são sempre ótimos.
    A coceira nas costas sempre me atormentou e, só hoje, encontrei a explicação em uma pesquisa no Google. Interessante que nenhum dermatologista havia me ajudado até então, no esclarecimento do problema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa eu também essa coceirinha eu sempre me esfrego nas quinas das paredes. ..até no banco do ônibus rsrsrs...e não me acanhõ de pedir as pessoas para dar uma coçadinha ...já comprei mãozinha de madeira. E é incrível Jesué que sempre que estou com as mãos ocupadas como cozinhar aí vem a coceira rsrsrs

      Excluir
    2. Nossa eu também essa coceirinha eu sempre me esfrego nas quinas das paredes. ..até no banco do ônibus rsrsrs...e não me acanhõ de pedir as pessoas para dar uma coçadinha ...já comprei mãozinha de madeira. E é incrível Jesué que sempre que estou com as mãos ocupadas como cozinhar aí vem a coceira rsrsrs

      Excluir
  3. Jesué Raposo!!!
    Cacêta, cara, deixa de ser egoísta e conta pra gente!!! Os dermatologistas não entendem nada de coceiras!!!

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.