terça-feira, 29 de novembro de 2011

Movimento Contra o Movimento Gota D'Água

Richard Jakubaszko
Meus Amigos / Minhas Amigas,
Acabei de ler e assinar o abaixo-assinado online: Movimento Contra o Movimento Gota D'Água

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N16979

Eu concordo com esse abaixo-assinado e acho que você também poderá concordar. Devemos apoiar a construção da Usina Belo Monte.
Vejam as razões no vídeo abaixo.
Assine a petição pública e divulgue para seus contatos. Vamos juntos fazer a democracia!
Obrigado a todos!

Já se arrasta por mais de 20 anos a discussão sobre a Usina de Belo Monte.
Este vídeo postado no Youtube dá explicações simples, com números, e que todo mundo pode entender, e você leitor poderá tirar muito mais proveito, além de conhecimentos, sobre o embate que acontece.

Assim, na próxima vez em que estiver num grupo, e alguém falar que é contra ou a favor de Belo Monte, você poderá usar ou não a lógica e os números que você verá nesse vídeo, e, desta forma, se manifestar a favor da hidrelétrica, ou a favor das usinas nucleares, porque não há opções, e sem precisar ficar repetindo como papagaio o que alguns dizem por aí sem ter o mínimo conhecimento de causa...
O primeiro movimento é o do Tempestade em Copo D'Água, que foi produzido por alunos da Unicamp (Campinas,SP).
Ufa! Que tal?






5 comentários:

  1. mini hidreletricas x Belo Monte

    http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=78054
    A hora e a vez das energias renováveis

    http://www.ibcperu.org/doc/isis/8325.pdf
    Custos e benefícios do complexo hidrelétrico Belo Monte: Uma abordagem econômico-ambiental

    http://philip.inpa.gov.br/publ_livres/Preprints/2005/Belo%20Monte%20dec%20making-EM-2.pdf
    Dams in the Amazon: Belo Monte and Brazil’s Hydroelectric Development of the Xingu River Basin

    Os benefícios escassos de Belo Monte
    Os benefícios sociais obtidos em troca dos impactos da barragem são muito menos do que
    declarações oficiais implicam porque grande parte da energia iria para subsidiar os lucros de
    multinacionais de alumínio que empregam uma força de trabalho minúscula no Brasil. Como
    exemplo, a fundição Albrás em Barcarena, Pará emprega apenas 1.200 pessoas, mas usa mais
    eletricidade do que a cidade de Belém com uma população de 1,2 milhões (Fearnside 1999; ver
    também: Brasil, ELETRONORTE, 1987a, p. Amazonas e Pará-32-12). O setor de alumínio
    no Brasil emprega apenas 2,7 pessoas por GWh de energia elétrica consumida, perdendo apenas para ironalloy
    fundições (1,1 empregos / GWh), que também consomem grandes quantidades de energia para uma exportação
    commodity (Bermann e Martins 2000, p. 90).

    The Scant Benefits of Belo Monte
    The social benefits obtained in exchange for the dams’ impacts are much less than
    official statements imply because much of the energy would go to subsidizing the profits of
    multinational aluminum companies that employ a miniscule workforce in Brazil. For
    example, the Albrás smelter at Barcarena, Pará employs only 1200 people, but uses more
    electricity than the city of Belém with a population of 1.2 million (Fearnside 1999; see
    also: Brazil, ELETRONORTE 1987a, p. Amazonas-32 & Pará-12). The aluminum sector
    in Brazil employs only 2.7 people per GWh of electricity consumed, second only to ironalloy
    smelters (1.1 job/GWh), which also consume large amounts of energy for an export
    commodity (Bermann and Martins 2000, p. 90).

    ResponderExcluir
  2. Gerson,
    um erro não justifica outro. Se os países desenvolvidos nos exportaram esses lixos industriais da produção de alumínio, para gastarem menos energia elétrica, da qual não dispõem, e nós aceitamos antes, não devemos agora cometer outro erro de também instalar energia nuclear pq vocês biodesagradáveis não querem hidrelétricas. Não há alternativa, ou é hidrelétrica ou é nuclear, como vc viu no vídeo. Solar e eólica é piada, pelo menos por enquanto. A hidrelétrica é 0,009% da área, e nem prejudica a piracema, portanto, parem de tentar vingança antecipadamente contra os ricos industriais do alumínio, pq arriscam-se a deixar milhões de brasileiros no escuro pelo capricho de lutar por vingancinhas infantis!!!

    ResponderExcluir
  3. Richard
    o seu comentario nao faz sentido e o que seria um erro justificando outro sim seria continuar com a proposta que voce faz com base em um video de adolescente que sequer se identifica e ainda tem muito que aprender com o Eike Batista e outros sobre metodologia 360. Sempre ha' escolha. Leia o artigo do Prof José Goldemberg da USP e use um orgao que fica entre as suas duas orelhas ao inves de chamar os contribuintes para o seu blog que usam este orgao de biodesagradaveis - o Brasil nao precisa nem de Belo Monte nem de usina nuclear e pode continuar com a producao de aluminio tambem se assim quiser, leia o artigo da USP. Erro justificando erro e' a logica perversa e incompleta neste video onde ja' comecam dizendo que como a area de desmatamento e' muito maior que a area inundada ja' podemos inundar. Acorde.

    ResponderExcluir
  4. Gerson,
    o órgão que tenho entre as orelhas me lembra que tivemos apagões no final dos anos 1990, e fomos forçados a enonomizar energia elétrica, sob pena de cortes individuais se gastássemos mais do que 20% acima da média anterior de consumo. Além do valor da conta ter dobrado em dólar, naquela época. Tudo porque fornecer energia elétrica não havia sido planejado pelos governos anteriores, e nem nos 8 anos de FHC, que acabou pagando o pato, porque ouviu os ambientalistas. Você, que vive na Inglaterra, não sabe o que acontece por aqui, lamento informá-lo.
    Ocorre que o núcleo USP, Goldemberg incluso, tem visões deturpadadas, e para obter apoio e dinheiro do governo do PSDB em SPaulo, apoia tudo pelos tucanos e é contra tudo o que pretenda fazer o Governo Federal. É uma briga política, com apoio da emprensa? É, disso tenho certeza. Minha briga não é política, e nem concordo com os argumentos dos ambientalistas, seja piracema, índios, alagamentos etc. Precisamos planejar e fazer agora, porque a construção de uma hidrelétrica demora muito mais do que uma década... Essa de Belo Monte faz mais de 20 anos que tá nessa encrenca!
    Na opinião de vocês, ambientalistas, e mais os políticos da oposição, tem de deixar faltar energia elétrica, aí vamos pensar na usina nuclear... Quem sabe numa eólica ou solar, né?

    ResponderExcluir
  5. Richard
    nao moro no exterior mas em MG, viajo muito ao exterior a trabalho nos EUA Alemanha ou UK e isso ajuda a ver outras solucoes que as propagadas somente na midia no BR. Nao me importa o argumento da filiacao politica do referido professor ou o seu ou qualquer outro, o ponto nao e' este e sim que sistemas distribuidos podem trazer mais energia, menos polemica, mais robustez e oportunidade para pessoas e empresas e tanta energia que como mostram varios calculos inclusive os do artigo da USP colocaria o Brasil em uma posicao privilegiada mundialmente. E' exatamente adotando modelos distribuidos como minihidreletricas x megahidreletricas que levam 30anos para fazer que podemos melhorar as probabilidades de reduzir apagoes, estabilizar precos e resolver todos os argumentos que voce levanta -exceto politica- sem nenhuma necessidade de energia nuclear (e se alguem ainda precisa de lembranca de todos os problemas nucleares veja a noticia recente de que os reatores de Fukushima estao penetrando na crosta da terra e vao contaminar agua e tudo mais... http://blog.imva.info/world-affairs/fukushima). O uso de outras energias -eolica solar etc- vai evoluir 'a medida que o mercado permitir inclusive eventualmente energia gratis como mostrada em varias fontes por exemplo Justin Hall-Tipping: Freeing energy from the grid
    http://www.ted.com/talks/justin_hall_tipping_freeing_energy_from_the_grid.html


    http://www.youtube.com/watch?v=OibqdwHyZxk#!
    Sep 7, 2011 THRIVE is an unconventional documentary premiering online on 11.11.11 at http://thrivemovement.com
    THRIVE lifts the veil on what's REALLY going on in our world by following the money upstream -- uncovering the global consolidation of power in nearly every aspect of our lives. Weaving together breakthroughs in science, consciousness and activism, THRIVE offers real solutions, empowering us with unprecedented and bold strategies for reclaiming our lives and our future.
    ===
    http://www.youtube.com/watch?v=NTo_Vb3dqYY
    Thrive - Full Movie
    http://thrivemovement.com

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", no "Selecionar perfil' e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.