segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Secretaria da Agricultura de São Paulo será extinta

Richard Jakubaszko 
governador leviano
Recebo e-mail (e comentário já publicado) do pesquisador José Caram de Souza Dias, que informa da extinção da gloriosa Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo, ato a ser executado pelo governador reeleito Geraldo Alckmin (cadê a água Alckmin???).
Dentro em breve os paulistas poderão perguntar: cadê a comida Alckmin!!!

Abaixo, o e-mail do Caram:
Caro amigo Richard
Muito interessante seu blog.
Ciência no Brasil tem carência. São Paulo se dará o luxo de extinguir a Secretaria da Agricultura.
VEJA ESSA NOTÍCIA EM:
Secretaria esta que contempla renomados Institutos de Pesquisa Científica, como o Instituto Agronômico (IAC) e o Instituto Biológico. Qual a razão? Econômica? Manda aplicar a tecnologia do broto/batata-semente, apenas esta, sem considerar as outras descobertas em cultivares e técnicas de controle de doenças e pragas, bem como manejo de culturas. Essa tecnologia tem potencial para reduzir em mais da metade a dependência da batata-semente básica (livre de vírus), anualmente importada.

Considerando que só Estado de São Paulo demanda 30% do volume importado anualmente (100 mil sacos de 25 kg de batata-semente). Então: metade de 33,33 mil sacos = 16,66 mil sacos. Custo por saco de tubérculo/batata-semente importada (classe básica) é de R$ 120,00 cada. Então, 30 mil x 120,00 = R$ 3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais). A redução de mais da metade desse custo, seguido da geração de empregos na produção de mini-tubérculos via plantio de brotos, dentro de telados, representaria o emprego de 180 pesquisadores científicos (média na carreira de nível 1 a 6 = R$ 5.000,00 + encargos/mês).

Essa tecnologia, somada a outras tantas, já bastariam para reverter e reconsiderar pela preservação ao invés da destruição dos institutos de pesquisa da Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo.
Essa redução de custos justificaria a manutenção dos cientistas (pesquisadores científicos) nos institutos de pesquisa do Estado de São Paulo.
Outro exemplo de retorno econômico para o agronegócio paulista, é a da premunização dos citros no controle da doença denominada "Tristeza dos Citrus", causada pelo vírus CTV, transmitido pleo pulgões.

São vários os resultados de pesquisa científica gerada nos institutos de pesquisa da Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo, com pleno sucesso de retorno econômico para o agronegócio.
Grato pela atenção
Abraço do amigo que o estima
José Alberto Caram de Souza Dias (Eng. Agr. PhD)
Pesquisador Científico - Virologista
Campinas, SP
.

18 comentários:

  1. Ana Amélia Junqueira3 de novembro de 2014 19:29

    Definitivamente tem algo de errado em São Paulo, além da falta de água. Essa agora! Votei em Alckmin para a reeleição, mas se isso de a Secret Agric ser extinta acontecer vou virar petista, juro que vou!
    Ana Amélia Junqueira

    ResponderExcluir
  2. Se isto acontecer será a personificação da idiotice.
    Não acredito que um governador com origem no ambiente rural e com ótima votação no interior seria capaz de decisão tão irracional ou cretina.
    Sebastião Costa Guedes.

    ResponderExcluir
  3. Guedes,
    se vai ou não acontecer ninguém sabe. Afora a notícia publicada pelo Estadão, outros jornais deram pequenas notas em suas versões online para as intenções. Parece que, de fato, é um balão de ensaio do governo do estado para ver como se comporta o "mercado". Se não houver resistência à extinção, essa de fato deve acontecer.
    Simples assim.

    ResponderExcluir
  4. O simples fato de uma informação como esta ser anunciada, configura a mediocridade de nosso governador. A extinção da Secretaria da Agricultura significará o fim da pesquisa, da geração de tecnologia e da extensão no Estado de São Paulo. É muito triste saber que os institutos seculares, como o IAC, e seus competentes pesquisadores podem estar com os dias contatos. Esse será um dos maiores retrocessos no agronegócio brasileiro. Lastimável!!!
    Valter Casarin
    Piracicaba-SP

    ResponderExcluir
  5. Luiz Fernando Ferraz Siqueira4 de novembro de 2014 09:24

    Bom dia Richard, absurdo total, sabe dizer qual a razão ?
    Não sei o que acontece com o Brasil, que péssima notícia.
    Luiz Fernando Ferraz Siqueira
    Diretor Agrícola
    Usina São Fernando
    Dourados - MS

    ResponderExcluir
  6. Amigos, a história se repete:
    Na Agro DBO denunciamos, na edição março 2014, http://richardjakubaszko.blogspot.com.br/2014/03/safra-indefinida.html na matéria "Institutos sucateados", autoria do jornalista José Maria Tomazela, o descaso político do governo estadual de São Paulo para com a pesquisa agropecuária, onde notáveis institutos de pesquisas, alguns centenários, entre eles o IAC - Instituto Agronômico de Campinas e o Instituto Biológico definham sem a reposição de trabalhadores de todos os níveis, inclusive pesquisadores. O desinteresse político, e também a má gestão pública nessa área, transforma cientistas em sucata humana sem importância e sem qualquer perspectiva de concretização de seus ideais e objetivos de trabalho, tornando-os uma caricatura social de cidadãos mal pagos, insatisfeitos e desmotivados, diante da inação do poder público.
    Lamentavelmente, o assunto é recorrente, pois já havíamos reportado esses problemas em setembro/2011 na DBO Agrotecnologia nº 32: o descaso do governo paulista com os institutos de pesquisa: http://richardjakubaszko.blogspot.com.br/2011/11/na-pesquisa-o-grande-desafio-do-seculo.html
    Foi a antevisão do que assistimos, agora, de o mesmo governador estudar a extinção da secretaria da agricultura, sem informar se os institutos de pesquisas terão o mesmo caminho ou se passam para a gestão de alguma outra secretaria de estado. É a evolução da gestão tucana, antes privatizavam empresas públicas, como a Vale, Telesp, Banespa etc., e agora extinguem órgãos essenciais de pesquisa.
    Alguma novidade? Alguém duvida de que isso possa acontecer?

    ResponderExcluir
  7. Como sempre, lembro e enfatizo: não publico comentários de anônimos. Se desejar postar comentário clique na flechinha "SELECIONAR PERFIL", depois escolha a caixa nome/URL, nela digite seu nome e cidade. Se tiver blog, digite link completo em URL, ou deixe em branco. Clique OK, e depois publicar, na caixa azul.
    Comentários anônimos podem parecer covardes.
    Lamentavelmente o Google deu de exigir o preenchimento das letrinhas "Captcha", peço desculpas, nada posso fazer, já tentei desconfigurar, mas eles perderam a paciência antes do que eu. Há muitos comentários de programas maliciosos, que remetem a sites contaminados, dai a exigência das letrinhas Captcha.
    Assim, temos que seguir as regras.

    ResponderExcluir
  8. José Tadashi Yorinori4 de novembro de 2014 20:28

    Prezado Richard:
    Obrigado pelas suas inúmeras mensagens, pelas quais nunca lhe agradeci.
    A notícia acima mostra o grau de incompetência, ignorância e irresponsabilidade de que são dotados nossos governantes.
    Já não bastava o sucateamento do secular Instituto Agronômico de Campinas - IAC, que tantos serviços prestou ao desenvolvimento da agricultura do estado de São Paulo e do Brasil?.
    Com a continuação do País governada por uma guerrilheira e terrorista, o que mais se pode esperar?
    Em quanto tempo seremos uma Venezuela ou uma Cuba?
    Continue o bom trabalho.
    Abraços,
    Tadashi

    ResponderExcluir
  9. Tadashi,
    fico honrado com sua visita ao blog.
    Espero ter forças para continuar, não está fácil.
    De outro lado, apenas uma ressalva de caráter político: a possível extinção da Secret Agric de SP, e do IAC, não é ato da guerrilheira, e sim do governador tucano de S.Paulo, conforme explicado no texto do post.

    ResponderExcluir
  10. Eng. Agr. Eduardo Caram de Souza Dias4 de novembro de 2014 21:32

    Zé,
    Acho que você fez sua parte, indignando-se pelo provável ato do Governador de extinguir a Secretaria da Agricultura. Pode ser que esta secretaria seja anexada à secretaria do Meio Ambiente, como ocorreu em Limeira.
    Pelo que entendi a Secretaria da Agricultura gasta uma verba de aproximadamente 1 bilhão de reais, mas o Governador não disse qual o retorno deste dinheiro aplicado nesta secretaria. É incomensurável. Você citou 2 exemplos. Imagine se nós não tivéssemos nossas instituições de Pesquisa o que seria da Cana de Açúcar e Álcool, o que seria do Trigo, do Milho, da Soja, do algodão da cultura da Maçã, da Seringueira, do nosso Gado, etc., das nossas florestas de Eucaliptos.
    Acabando a Secretaria da Agricultura, ficará para que Departamento do Estado as Deliberações Normativas, as Normas Regulatórias do Controle de Pragas e Doenças Quarentenárias e Não Quarentenárias, as fiscalizações de entrada e saída de alimentos e sementes, os armazéns estratégicos de controle de estoque regulador, a CATI, as estações Experimentais do Instituto Agronômico, do Biológico e do Instituto de Zootecnia, todas as pesquisas em andamento. Acho que o Governador Dr. Geraldo Alkmin transferirá as Instituições Agronômicas, Biológicas, Florestais, Zootécnicas para as UNIVERSIDADES ESTADUAIS, o que melhoraria em muito para os pesquisadores, igualando-os definitivamente aos docentes / pesquisadores.
    Eng. Agr. Eduardo Caram de Souza Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Alberto Caram de Souza Dias (Eng. Agr. PhD)4 de novembro de 2014 21:36

      Caro irmão Engenheiro Agrônomo Eduardo Caram de Souza Dias, estou copiando esta sua mensagem forte e repleta de imbatíveis-inteligentes argumentos, ao jornalista Richard Jakubaszko, o qual poderá incluir sua mensagem como "comentário" no blog que ele mantem.
      Agradeço sua mensagem. Transpira emoção; expressa sentimento de quem entende do seguimento; soa batidas de coração acelerado pela argumentação sustentada na razão e não na emoção. Choro com você e enxugo sua lágrimas de tristeza pela dor da leviandade, que pode não ter maldade, mas marcará a identidade da governabilidade.

      Confesso que estive pensando:
      1- Como faz falta nessa hora a presença de um cidadão brasileiro - paulista, chamado Dr. Antônio Ermírio de Moraes. Ele era por demais conhecedor e defensor do IAC. Recebia pesquisadores científicos dos institutos de pesquisa do Estado de São Paulo, para servir de interlocutor com governantes. Foi ele quem telefonou para o então Governador Mario Covas para dizer que fazia coro com o clamor dos cientistas que "gritavam" por melhores salários; pela equiparação com o solário dos professores das universidades do Estado de São Paulo. Em todas as vezes que intercedeu, fomos atendidos: Governador Franco Montoro, o Governador Mário Covas.

      2- Como um médico-político experiente como o Gov. Geraldo Alckmin não sabe que se um médico comete erro técnico dentro de um hospital, a terra cobre, mas se o erro for na agricultura, a terra mostra;

      3- Como pode pensar ou sustentar que extirpando a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento haverá economia para o Governo do Estado de São Paulo; sem que isso afete outros setores do Governo, que cuidam da geração de (1) emprego; (2) renda no interior do Estado; (3) desenvolvimento sustentável pró econômico-social-ambiental; (4) segurança alimentar; (5) sustentabilidade econômica-ambiental, com tecnologias agroecológicas, que refletem no sistema de cultivo (produção de alimento e energia) convencional: mais químico, menos biológico.
      (Veja a carta de meu irmão, acima)
      Obrigado, e muito, pelos seus comentários.
      Abraços do irmão

      José Alberto Caram de Souza Dias (Eng. Agr. PhD)
      Pesquisador Científico - Virologista
      Campinas, SP

      Excluir
  11. Odo Primavesi, São Carlos4 de novembro de 2014 22:54

    Oi, Richard!
    E o desmonte de estruturas importantes continua, por governos da direita e da esquerda, pois ambos so veem a racionalização de gastos uteis para sobrar mais para outras finalidades. Ja quioseram desmanchar a Embrapa, e ai tiveram que mostrar que a pesquisa retornava em varias vezes em beneficio da sociedade e do PIB, cada real investido.
    Já viu o novo relatorio: O futuro climático da Amazônia 30/10/2014
    http://www.ccst.inpe.br/wp-content/uploads/2014/10/Futuro-Climatico-da-Amazonia.pdf
    []s
    Odo

    ResponderExcluir
  12. Rafael Marcelino Botucatu/SP5 de novembro de 2014 08:17

    Caros Amigos,

    Acabei de ler e assinar o abaixo-assinado: «CONTRA A EXTINÇÃO DA SECRETARIA DE AGRICULTURA - SP» no endereço http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR76335

    Concordo com este abaixo-assinado e cumpro com o dever de o fazer chegar ao maior número de pessoas.

    Caso você concorde, agradeço que assine o abaixo-assinado e que ajudem na sua divulgação através de um email para os seus contatos.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  13. Miriam Abrahão - CATI/SAA5 de novembro de 2014 09:21

    Prezado Richard
    Primeiramente, parabenizo pelo blog de tamanho conteúdo.
    A extinção da Secretaria da Agricultura significará o fim da pesquisa, da geração de tecnologia e da extensão no Estado de São Paulo. Somente com fortalecimento da agricultura familiar manteremos as pessoas no meio rural, com condições dignas que o agricultor merece.
    Assim, também assinei a petição citada no comentário acima e espero que essa proposta do Sr. Governador seja revista.
    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Caro Richard,
    aproveito a oportunidade para cumprimenta-lo pelo seu trabalho de divulgação neste blog. Só para mostrar como as coisas são, ou melhor, estão no atual governo, incluo o link de uma noticia fresquinha: Um dos centros de pesquisa do IAC ganhou a fase regional do Premio FINEP 2014 (modalidade Instituição de Ciência e Tecnologia) (http://www.apta.sp.gov.br/noticia_apta.php?id=4552).
    Ao que parece todos, menos o próprio governo de São Paulo, dão valor ao trabalho desenvolvido na Secretaria.
    Forte abraço

    ResponderExcluir
  15. No que tange à CATI, considero a mesma um fardo ao cidadão paulista. Não serve pra nada, senão para burocratizar a vida do agricultor paulista, sem oferecer o serviço mínimo que lhe seria obrigatório. No papel, funciona maravilhosamente bem; mas na prática, pra quem realmente depende do respaldo do Estado, é uma ladainha, das mais fatídicas.

    ResponderExcluir
  16. Lembro aos comentaristas: não publico comentários de anônimos, sejam favoráveis ou críticos aos debates de cada postagem. Acho covardia do autor, se for anônimo.
    Lamento.

    ResponderExcluir
  17. Primeiramente gostaria de parabenizar pelo blog que é muito bem elaborado com artigos preciosos.

    Sou contra que fechem essa secretária, afinal a tecnologia vem de pesquisas oriunda da mesma.

    Se gastar 1 bilhão em verba total (que para desenvolvimento ainda é pouco ) não traz respaldo,

    Pra robalheira isso não é nada, mesmo sendo bem leigo assim que soube me trouxe indignação

    Att, Bruno Pinna

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.