domingo, 19 de novembro de 2017

Não querem bloquear dinheiro de Lula, querem bloquear milhões de votos


Fernando Brito *
   


Lula disse hoje, no Congresso do PC do B, que deveriam “ter a decência de dizer onde tenho R$ 24 milhões”, referindo-se ao pedido do Ministério Público à Justiça Federal para que lhe fossem bloqueados – e a seu filho – bens neste valor.

A questão, óbvio, é que não há o dinheiro – ou outros valores – que o MP pede para bloquear. Isso não vem ao caso, até porque os sigilos bancários de Lula e de sua família estão quebrados há séculos.

A questão é que as medidas judiciais estão sendo pedidas – e, não raro, concedidas – com evidente finalidade de propaganda política.

O objetivo é criar a suspeita, para muitos a convicção, de que Lula tem este patrimônio.

Cria-se o bitcoin judicial, a moeda virtual do Ministério Público que compra desprestígio político e que, portanto, compra mentalmente votos para outro candidato.

A rigor, o mecanismo de bloqueio de bens de um acusado deveria ser o mesmo que alguém que busca reparação indenizatória é obrigado a acionar: indicar bens à penhora, até porque, neste caso, o poder de estar informado do que esta pessoa possui é pleno para ambos, MP e juiz.

O MP não indica nada, porque não tem nada a indicar.

Tornou-se uma máquina de exploração política que não tem de explicar nada, apenas aponta o dedo e isso basta.

Ninguém o controla, ninguém o regula, ninguém o julga.

O juiz? Ah, o juiz quando não está na mesma, borra-se de medo de sair assim nos jornais:

“Juiz rejeita bloquear R$ 24 milhões de Lula.”

Não importa que os R$ 24 milhões não existam em bens ou dinheiro: o doutor os “liberou” para Lula.

São a moeda da convicção.

* o autor é jornalista, editor do blog Tijolaço.
Publicado no http://www.tijolaco.com.br/blog/nao-querem-bloquear-dinheiro-de-lula-querem-bloquear-milhoes-de-votos/
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", no "Selecionar perfil' e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.