sábado, 29 de novembro de 2014

Barrigadas bolivarianas de Veja e do Constantino

Richard Jakubaszko
Certas notícias publicadas na mídia e na blogosfera brasileira são hilárias, especialmente nos chamados blogueiros da extrema direita, da qual o livre atirador Rodrigo Constantino (O trovão da razão), é um dos mais useiros e vezeiros porta-vozes dos coxinhas. Em meados de novembro deste ano da graça de 2014 o tal do Constantino, que nem jornalista é, publicou em seu blog, ancorado no site da Veja, um desaforado e imbecil de um "post denúncia" sobre crianças brasileiras sendo levadas para a Venezuela para serem treinadas na "ideologia bolivariana". A coluna tinha como fonte um procurador federal de Goiás, de nome Ailton Benedito de Souza, que instaurou sindicância, revoltado com essa situação.

Confiram a coluna de Rodrigo Constantino: http://naofo.de/255e

No final de novembro 2014 a Folha de São Paulo botou os pingos nos “ii” do Constantino, era mais um “boimate” da Veja, e de seu mais novo e festejado colunista, que segue a mesma linha do editor chefe de Veja, Eurípedes Alcântara, o que “criou” o primeiro e único boimate, imbatível até hoje, lá no ano 1983, quando revelou nas páginas de Veja o "cruzamento genético de um boi com tomate", acreditando ser ciência da biotecnologia uma brincadeira de um jornal inglês que festejava o 1º de abril, o conhecido “dia dos bobos”.
 

A Folha de São Paulo registrou a pisada no tomate do procurador goiano, Ailton Benedito de Souza, em matéria sob título “Meu Brasil Venezuelano”: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/197606-meu-brasil-venezualano.shtml

Em resumo, o primeiro boimate não ensinou lições aos colunistas da Veja. Constantino, na marcha em que vai, deve até ganhar promoções na "prestigiada" e decadente revista dos Civita. Se Eurípedes chegou a editor chefe da Veja, tendo cometido a maior barrigada do jornalismo na história nacional, contada em prosa e verso nas faculdades de jornalismo, imaginem o Constantivo, mais jovem, mas já famoso por seu estilo personalista e democrático. Vai longe esse rapaz, tem muito futuro. O procurador também, pois Goiás tem fama de ser "celeiro" de procuradores ínclitos e combativos, por exemplo, o
amigo do "empresário" Cachoeira, o ex-senador Demóstenes Torres, qualificado por Veja como um dos mosqueteiros da corrupção mais ativos da república, a brasileira, não a bolivariana...

O blog O Cafezinho registrou a façanha do “furo” jornalístico de mais um boimate da Veja, e toda a blogosfera suja repercutiu,
com indisfarçável alegria, para mostrar a indignação bolivariana do Constantino: http://www.ocafezinho.com/2014/11/28/mais-um-boimate-da-veja/
Eita gente marvada, essa turma dos blog sujos...


NOTA DO BLOGUEIRO:
1 - Sobre Rodrigo Constantino dos Santos, a Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Rodrigo_Constantino ) registra: (Rio de Janeiro, 4 de julho de 1976), 38 anos, é um economista e colunista brasileiro. Foi articulista da revista "Voto" e escreve regularmente para os jornais "Valor Econômico" e "O Globo". A partir de agosto de 2013, passou a escrever também para a revista semanal "Veja". Presidente do Instituto Liberal e um dos fundadores do Instituto Millenium, foi considerado em 2012 pela revista Época, como um dos "novos trombones da direita" brasileira. Em outubro de 2013, numa resenha para o livro Esquerda Caviar, a revista Veja alcunhou-o de "o trovão da razão". Meses depois, o apelido despertou uma série de reações bem-humoradas no Twitter.

2 - Boimate, a divina barrigada de Veja, em 1983. A revista demorou 3 meses para desculpar-se com seus leitores.
  .

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.