quinta-feira, 24 de maio de 2012

Dramático vídeo do tsunami japonês

Richard Jakubaszko
Impressionantes imagens gravadas em vídeo por um cinegrafista amador, no momento em que o tsunami arrasava uma pequena cidade no litoral do Japão.

O vídeo já foi assistido por mais de 13 milhões de visitantes, e me foi enviado pelo agrônomo José Maria Fernandes dos Santos, colaborador aposentado e voluntário do glorioso Instituto Biológico, da Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo.

Veja o leitor que é importante sabermos que a espada de Dâmocles continua sobre nossas cabeças, na forma de futuros vazamentos radioativos na usina de Fukushima.
Enviados por Gerson Machado, os links abaixo são muito interessantes de serem visitados, mostram o terror nuclear que a mídia mundial acoberta.

Considerando que usinas nucleares são as únicas alternativas que se contrapõem às usinas térmicas, movidas por combustíveis fósseis, de se produzir energia elétrica lá no Hemisfério Norte, pois eles não possuem rios com quedas para gerar a hidroeletricidade, os ambientalistas e a mídia fazem um favor enorme ao lobby nuclear ao se calar diante dessa tragédia que assola o Japão e toda a região atingida pelo acidente de Fukushima.

Assim, pense bem o leitor deste blog, pois a indústria nuclear é quem financiou e ainda financia a demonização do CO2 e dos gases estufas.
Os links abaixo estão em inglês.
Fukushima Forever

Fukushima Daiichi: The Truth and the Futur
Este é a maior autoridade no mundo sobre o assunto:

.

4 comentários:

  1. Richard,

    O pessoal da Blue Economy ajudou o governo da Alemanha a abandonar energia nuclear bem como fez apresentacoes no Japao. Existem solucoes economicamente viaveis HOJE para qualquer pais no hemisferio norte ou sul. O video abaixo explica o basico e se alguem quiser mais detalhes certamente a equipe do Prof Gunter Pauli podera' ajudar.

    Continue o bom trabalho.

    Gerson

    http://www.youtube.com/watch?v=1IoZ46z4HL0
    The Blue Economy: ZERI-Nuclear-Exit - Simpleshow
    Published on May 9, 2012 by TheBlueEconomy

    The exit of nuclear energy is possible.
    If we use our existing infrastructure in an innovative way, then we can not only speed up the exit of nuclear energy, we can even pay for it. Costs are converted to revenues. This generates cash and if money is available, then consensus can be reached to put an end to this expensive source of energy. This Simple Show explains how The Blue Economy can be applied to provide cheap and renewable energy with what we have - and a touch of creativity.
    Visit us at http://www.blueeconomy.eu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Richard

      Talvez as probabilidades do hemisferio norte estejam realmente diminuindo rapidamente... ao menos de acordo com este general americano analisando a situacao em Fukushima. O nome do web site e' bem apropriado...

      Gerson

      U.S. Army General: The Whole Northern Hemisphere is at Risk of Becoming Largely Uninhabitable
      http://www.shtfplan.com/headline-news/u-s-army-general-the-whole-northern-hemisphere-is-at-risk-of-becoming-largely-uninhabitable_05252012
      Mac Slavo May 25th, 2012

      Excluir
  2. Richard
    uma breve descricao do caso de negocios para substituir energia nuclear pode ser encontrado no link abaixo "nuclear exit"
    Gerson

    http://www.unep.org/greeneconomy/Portals/88/documents/Case55_nuclear_exit_en.pdf

    ResponderExcluir
  3. Richard ver tambem este programa de energia eolica na Alemanha que serve de exemplo para o mundo.
    Gerson

    http://spectrum.ieee.org/energywise/energy/renewables/germany-plans-3800kilometer-25-billion-transmission-network-for-wind-power

    ResponderExcluir

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", no "Selecionar perfil' e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.