domingo, 5 de março de 2017

Sermão da terceira quarta-feira da Quaresma

Evaristo Eduardo de Miranda *
Um trecho do "imperador da língua portuguesa". Próximo de como ele o escreveu. Para ler lentamente, relendo. Quaresmal.


Sermão da terceira quarta-feira da Quaresma
Padre Antônio Vieira

Ou mereceis os prêmios, que vos faltam, e com que vos faltam, ou não: se os não mereceis. não tendes de que vos queixar: se os mereceis, muito menos. Ainda não sabíeis que não há virtude, nem merecimento, sem prêmio? Assim como o vício é o castigo, assim a virtude é o prêmio de si mesma. O maior prêmio das ações heroicas é fazê-las. Com melhores palavras o disse Séneca, porque falava em melhor língua: Quid consequar (inquis) si hoc fortiter, si hoc grate fecero? Quod feceris: Se me perguntas que hás de conseguir pelo que fizeste. Ou forte, ou gênero prêmio aumente, respondo-te que tê-lo feito. Rerum honestarum pretium in ipsis est. O prêmio das ações honradas, elas o têm em si, e o levam logo consigo; nem tarda, nem espera requerimentos, nem depende de outrem: são satisfação de si mesmas. No dia em que as fizestes, vos satisfizestes.

E se fora de vós mesmos esperáveis outro prêmio, contentai-vos com o da opinião, e da honra. Se vossos serviços são mal premiados. baste-vos saber que são bem conhecidos. Este prêmio mental assentado no juízo das gentes. Ninguém vo-lo pode tirar, nem diminuir. Que importa que subais mal consultado dos ministros, se estais bem julgado da fama? Que importa que saísseis escusado do tribunal, se o tribunal fica acusado? Passai pela chancelaria este despacho, deixai-o por brasão a vossos descendentes, e sereis duas vezes glorioso. Só vos dou licença que vos arrependais de ter pretendido. Pouco fez, ou baixamente avalia suas ações quem cuida que lhas podiam pagar os homens.

Se servistes à pátria, que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis, ela o que costuma. Mas que paga maior para um coração honrado que ter feito o que devia? Quando fizestes o que devíeis então vos pagastes. Ouvi ao Mestre Divino, que nos ensinou. Dizia Cristo a Seus soldados, a quem encarregou não menos que a conquista do mundo, em que todos deram a vida: Cum feceritis omnia, dicite: servi inutiles sumus: Quando fizerdes tudo, dizei que sois servos inúteis. Notável sentença! O servo inútil é aquele que não faz nada; mas o que faz muito, e muito mais o que faz tudo, há de cuidar, e dizer que é servo inútil? Si.”

* engenheiro agrônomo, doutor em ecologia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar, aguarde publicação de seu comentário.
Não publico ofensas pessoais e termos pejorativos. Não publico comentários de anônimos.
Registre seu nome / cidade na mensagem. Depois de digitar seu comentário clique na flechinha da janela "Comentar como", e escolha "nome/URL"; na janela que vai abrir digite seu nome.
Se vc possui blog digite o endereço (link) completo na linha do URL, caso contrário deixe em branco.
Depois, clique em "publicar".
Se tiver gmail escolha "Google", pois o sistema Google vai pedir a sua senha e autenticar o envio.